Admirável mundo ansioso!

2

Ansiedade: O mal do mundo moderno. Sou um ansioso confesso e em tratamento ad eternum. E nada de Keep Calm and Tome Rivotril. Não sou a favor desse tipo de “muleta”. Meu tratamento se chama “autoconhecimento”. E posso dizer que 2012 foi o ano que mais investi (tempo, dinheiro e energia) em me conhecer melhor. Compartilho com vocês aquilo que levo como mantra na minha vida.
Primeiro, tentei entender o real motivo da minha ansiedade. Como são as perguntas que movem o mundo, surgiram questionamentos de todos os tipos, mas eu me peguei pensando muito em um específico que foi “Qual o meu ganho sendo uma pessoa ansiosa?”. Obviamente que a resposta foi “nenhum”, porém eu precisava entender mais a respeito disso.
Fiz diversos cursos e workshops sobre Life Coach, a fim de me compreender melhor e entender de onde saiu essa minha crença besta de que a pressa é a melhor amiga da perfeição. Fazendo uma auto regressão, escorado em balcão de boteco e alguns copos de chopp depois, caiu a ficha da fonte da minha ansiedade. Como não poderia deixar de ser, se tratava de uma crença familiar, mais precisamente do meu querido pai.  Uma pessoa extremamente pontual e, por muitas vezes, que foi consumido pela pressa. Ok, descobri a causa. E agora? Eu precisava mudar isso e tirar essa crença da minha cabeça, afinal crença, gera pensamento, que por sua geram as ações que determinam os nossos resultados. Fui estudar as causas da ansiedade e foi aí que veio a luz e a resposta pra esse meu problema:
NUNCA ULTRAPASSE OS TEUS 50%
O que eu quero dizer com isso? Nós precisamos uns dos outros. Seja em nosso trabalho, seja em nossos relacionamentos, com a nossa família, enfim… Os seres humanos dependem de outros seres humanos. Dito isso, precisamos entender que nós só temos controle sobre aquilo que está em nosso alcance. Tudo aquilo que foge da nossa “jurisdição”, que foge do nosso controle é o que nos causa ansiedade. Pensem comigo: Você enviou uma proposta de trabalho para uma grande empresa e ela ficou de responder em uma semana. O que acontece a partir do oitavo dia? Ficamos ansiosos aguardando a resposta. Os teus 50%, que era preparar uma excelente proposta e apresentar da maneira mais brilhante possível já foi feito. Qualquer outra ação que tu venhas a tomar após isso você estará ultrapassando os teus 50% e tentando controlar o incontrolável.  Agora passamos a bola pra empresa, ela precisa mover os 50% dela para efetivarmos negócio. Foque a sua energia em preparar outra proposta para outra empresa.
Outro exemplo, BEM mais rotineiro. Combinei de passar na casa da minha namorada às 20h para irmos jantar. Às 20h em ponto estou na frente da sua casa, cheirosinho, na beca, cabelinho arrumado e aviso que cheguei. Perfeito, os meus 50% estão completos. Passam 5 minutos e nada dela descer. Passam 15 minutos e nada. O que acontece? A ansiedade entra em ação. O que você pode fazer? NADA! Você vai ligar pra ela dizendo pra ela se apressar? Vai ficar buzinando e bufando sozinho? Ok, confesso que já fiz isso, mas tu acha que isso vai funcionar? Sim, ela está atrasada e não cumpriu os 50% dela, mas não podemos fazer mais nada a não ser tentar fazer diferente da próxima vez.
Então galerinhas do bem se querem viver uma vida mais tranquila, nunca ultrapassem os 50% de vocês. Sempre que se pegarem em uma situação de ansiedade, se perguntem “O que eu posso fazer pra resolver essa questão?” Se não tiver resposta é porque tu estas tentando agir com aquilo que não cabe a você. Se uma situação não tem como ser resolvida, então ela já está resolvida. Passe para a próxima.

Equilibre a gangorra nas tuas relações. Nem mais nem menos. Ame os teus 50%. Viva os teus 50%.
Imagem: reprodução

2 Comentários

  1. Angelo Borges Diz

    Ótimo texto Tiago.

    Acredito também nesta situação que descrevestes, mas o mais difícil é tornar isso uma prática do dia-a-dia. Geralmente meus 50% demandam um esforço maior do que os 50% das outras pessoas.

    Abraços.

    1. titi fiamenghi Diz

      Grande Borges!

      Realmente não é fácil, mas também não podemos dizer que nossos 50% são mais difíceis que os 50% de outra pessoa. Pensar dessa forma já é querer trabalhar com os 50% que não te pertencem. Cada um sabe o esforço que é preciso pra tornar isso uma prática diária!

      Abraço meu guri!

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.