#AOLADO 1 | DO CARRO AO LADO

0

Leia ouvindo: Haikaiss – Relaxa! 

Mesmo com tantas opções para deslocamento ainda tenho carro em São Paulo. A caótica capital não me parece tão caótica assim. Talvez eu seja tão bagunçada quanto ela. Uma bagunça que eu até acho organizada para dizer bem a verdade.

Suas distâncias tem beleza, essência. O deslocamento consome tempo, uns otimizam, outros se irritam, eu, bem, eu tento me divertir. Gosto de histórias. Ouvir ou criar dá o mesmo prazer.

A história aqui é sobre a moça do carro ao lado. Eu já fui ela, você também. Já fomos personagens na história – mesmo que imaginária – de alguém. Ela foi da minha.

Fotografia: Juliana Manzato

Sexta-feira à tarde não é um bom dia para transitar nas ruas de capital. Teimosa que só, sair de carro me parece mais confortável do que andar de motorista por ai. Quando alguém dirige para mim facilmente sou seduzida pelo feed das redes sociais, pelas conversas que preciso responder no whatsapp e pela lista de pendências que tento resolver em vão pelo trajeto que escolhi.

Final de tarde, Av. Brasil parada. Observo ao redor. A moça do carro ao lado parece triste. Parece estar no meio de uma ligação. Provavelmente irritadíssima com o trânsito e com a pessoa do outro lado da linha. Poderia ser bucha de trabalho. Poderia ser o namorado/noivo/marido. Poderia ser a mãe. Poderia ser uma amiga. Poderia ser uma distração para o trânsito, mas visivelmente era problema.

Carros lado a lado, ela não sabia que eu estava ali. Andamos um pouco. A ligação parece ter terminado. O rosto continua tenso. O pensamento parece estar bem longe dali, provavelmente no passado ou no futuro. Na próxima direita eu viro, provavelmente a perderei de vista.

É o que acontece.

Penso na moça do carro ao lado até chegar em casa. Eu também já tinha passado por aquilo. O bluetooth nos carros é uma baita invenção, uma frustração também. A desculpa de não atender uma ligação por estar no transito não cola mais. Quem dirige otimiza tempo assim, marcando call enquanto enfrenta o transito, pelo menos aqui em SP é assim. É bem mais respeitoso do que fazer uma call junto com um motorista que você mal conhece dirigindo para você, por exemplo.

Entre as tantas coisas que eu queria dizer para ela é que vai ficar tudo bem. É possível não se irritar com o trânsito olhando mais para o carro ao lado, colocando uma boa playlist para tocar, ligando para alguém querido, observando em detalhes a rua em que você está parada.

Desejo que, seja lá qual fosse o destino dela, a volta para o escritório ou a ida para casa, que ela encontrasse conforto em uma música ou em alguém. Ninguém sabe quais são as situações que passamos e muitas delas influenciam completamente o andamento do dia.

Ei você, do carro ao lado, não importa o motivo ou a chateação. Você é incrível e vai ficar tudo bem. Sempre fica 😉

[ Ao lado é uma série com 10 textos para promover a empatia entre as mulheres. Próximo texto: Do apartamento ao lado ].

Juliana Manzato

Juliana Manzato

Apaixonada por amor, cachorros, textos e coisas inspiradoras.Adora fotografia, mar, sol, doce de padaria, verão e olhar o céu azul. Faz da vida poesia e textos. Muitos textos!Sonhos? Vive deles
Juliana Manzato

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.