AS FINANÇAS DELA | ARMADILHAS EMOCIONAIS

0

Leia ouvindo: Maggie Rogers – Alaska

Cuidado com as armadilhas emocionais, ou vamos ficar sem um tostão!

Fotografia: Juliana Manzato | Arte exposta no MAC – Museu de Arte Contemporânea – de São Paulo

Não dá para tapar o sol com a peneira, vivemos em uma sociedade capitalista, consumista e onde, cada vez mais, empresas investem em criar conexões emocionais com seus clientes para aumentarem seus lucros.

Num mundo líquido, de relações digitais, onde as mudanças ocorrem num piscar de olhos, não é de se assustar que as empresas se aproveitam dessas “fragilidades” emocionais cada vez mais presentes no nosso dia a dia para investir milhões em estratégias de conexão emocional para que, cada vez mais nosso processo de compra aconteça de forma emocional.

Uma pesquisa publicada na Harvard Business Review em 2015, fala sobre a nova ciência das emoções do cliente, e identificou 300 emoções que são motivadoras universais para compras. (Sim, você é estimulado a comprar e as vezes nem percebe!).

Listo abaixo apenas 10(!) das emoções que afetam significativamente o nosso comportamento no processo de compra:

1. Desejo de ser diferente dos demais, ser visto como especial.

2. Desejo de confiar no futuro, ter uma atitude mental positiva no que está por vir.

3. Desfrutar de uma sensação de bem-estar.

4. Experimentar sensação de liberdade.

5. Experimentar uma sensação de prazer, participar de eventos divertidos e empolgantes

6. Ter uma sensação de aceitação, sentir-se parte de um grupo.

7. Proteger o meio ambiente, agir de modo a melhorar seu entorno.

8. Ser a pessoa que quero ser, satisfazer o desejo de auto aperfeiçoamento contínuo, imagem ideal.

9. Sentir-me seguro, acreditar que o que você tem hoje estará lá amanhã.

10. Ter sucesso na vida, sentir que leva uma vida significativa.

Será que o fato de consumirmos inspirados por esses desejos nos ajudam a chegar naquela sensação de satisfação, e apaziguam nossas necessidades emocionais?

Acredito que não, (aqui não estamos falando da área consciente, é inconsciente mesmo pois o componente emocional é preponderante nesses casos) e ao contrário, nos fazem a continuar nesta busca frenética por algum sentido, por se sentir importante, reconhecido, amado, único e consumindo cada vez mais!

Isso porque dificilmente conseguiremos qualquer tipo de avanço emocional comprando ou procurando externamente algo que só pode ser alcançado internamente.

Todas as vezes que sentir vontade de comprar, assuma o controle das suas emoções! Redobre a atenção e exercite a capacidade de análise racional toda vez que tiver que tomar uma decisão financeira. Seja na compra/venda de algo ou mesmo nos investimentos.

Não se iluda, nunca iremos encontrar em forma de produto ou serviço algo que precisamos desenvolver internamente.

Luciana Giorgi

Luciana Giorgi

CEO da própria vida, mãe de 2, irmã de 3, com vocação para ser feliz. Adora festa, gente, conversar, aprender, melhorar e compartilhar. Vivecada dia como um grande presente.
Luciana Giorgi

Últimos posts por Luciana Giorgi (exibir todos)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.