CARTAS PARA MALU #3: GAROTAS GRANDES TAMBÉM CHORAM

0

Leia ouvindo: John Mayer – Daughters

Minha Malu,
Hoje mamãe chorou. Enquanto você chorava e mamãe te embalava, mamãe se embalava e também chorava. Eu não queria te dizer isso, mas não foi a primeira vez. Também não queria completar assim, mas, provavelmente, não será a última.

Quando descobri que você morava na minha barriga, torci bastante para que fosse um menino. Não é que eu preferisse um molecote, ou que já tivesse um nome masculino, ou porque roupas azuis me fazem mais a cabeça (apesar de eu não ter essa frescura com as cores). Minha Malu, além de todos os medos que mamãe acumula e que passou a conhecer depois da sua chegada, vejo o tamanho da carga que carregamos quando encarnamos no sexo feminino.

Fotografia: Bianca Ferreira

As pessoas de fora esperam que a gente abrace absolutamente tudo. E dê conta de absolutamente tudo. Esperam que nossos cabelos estejam em dia, mesmo que não vejam a bagunça do quarto que não tivemos tempo de arrumar. Querem que nossas unhas estejam lindas, ainda que não saibam que pagou a última fatura do cartão de crédito com juros, porque perdeu a data de vencimento no mês anterior. Querem que a gente crie, eduque e ainda trabalhe. Que sejamos responsáveis por não engravidar novamente. Que sejamos completas para os nossos parceiros, ainda que não consigamos estar completas com nós mesmas.

Hoje mamãe chorou porque estava cansada. Exausta. Ainda não consegue dormir uma noite inteira e já acorda com diversas pendências para cortar. Precisava lavar mamadeiras, enquanto respondia mensagens sobre o carro que vendeu. Preparar nebulização enquanto amamentava no peito. Me atrasei pro trabalho e comi três bisnaguinhas correndo só pra me manter de pé até a hora do almoço.

Minha Malu,
Mamãe não tem a intenção de te assustar, mas quer, sim, te preparar. Vão exigir que você tenha filhos, mesmo que essa não seja sua vontade. Vão te mandar preparar o almoço para o seu parceiro, mesmo que você mal saiba tampar uma panela. Mas se depender de mim, Maria Luisa, ainda que as pressões de fora nunca deixem de existir, você crescerá plena e confiante, sabendo exatamente o que tem que fazer por responsabilidade e o que vai fazer por vontade.

Há uma longa caminhada a se percorrer para transformarmos o mundo num lugar mais gentil para as mulheres. Mais compreensivo, mais brando, com menos cobranças e dedos apontados. Mas não há nada nesse mundo que me dê mais forças para fazer a minha parte do que olhar para você e ter a convicção de que preciso continuar tentando.

Ser mulher não é totalmente ruim, não. Só a gente é capaz de gerar gente como você, minha Malu, que no fim do dia segura minha mão e abre um sorriso banguela capaz de levar pra bem longe toda e qualquer carga emocional ou pressão social. E aí mamãe chora, de novo. Mas, dessa vez, com um sorriso que traduz o amor que tenho no meu coração.

Bianca Carvalho

Bianca Carvalho

Uma carioca branquela, bagunceira e desbocada. Uma mulher questionadora, inquieta e expansiva. Uma amante do mundo, dos cachorros e de pessoas apaixonadas pela vida.
Bianca Carvalho

Últimos posts por Bianca Carvalho (exibir todos)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.