Confissões de uma recém-casada em: O bolo de Cenoura

20

Oi, meu nome é Natália e eu sou uma péssima esposa no quesito “cozinha”. Não sei fritar um ovo e não nego. Cozinhar nunca foi meu forte, mesmo gostando de brincar na cozinha. O problema é que eu raramente acerto… mas como brasileira, não desisto nunca, mesmo depois de grudar um miojo, queimar um omelete e fazer um bolo de cenoura cru. Ah, o bolo de cenoura…

Vamos por partes: na minha humilde residência alemã, resolvi surpreender o maridão e fazer um bolo de cenoura, seu favorito. Com bastante cobertura de chocolate. Ok, vamos lá pro Google em busca de uma “receita de bolo de cenoura sem batedeira” – eu até tenho um mixer que serve de batedeira aqui, mas ele é tão complicado de mexer que a preguiça fala mais alto e eu prefiro usar o liquidificador. Achei a receita, que tinha um video explicando passo-a-passo (isso me conquistou!) e pensei “bom, acho que não tenho o que errar né?!” Ingenuidade foi meu sobrenome nesse momento.
Primeiro passo pro bolo: comprar os ingredientes. Ok, vamos fazer a lista e…traduzi-la! Afinal, de que adianta eu saber que preciso comprar farinha de trigo se não sei como é isso em alemão?? Fiz a listinha, traduzi tudo bonitinho e fui no mercado. Aliás, descobri que essa é uma excelente maneira de aprender o idioma. Devo ter demorado uns 40min pra comprar meia dúzia de coisas, porque o Google lyndo nem sempre traduz do jeito que queremos né? Tinha que ler e traduzir o rótulo de praticamente tudo (obrigada 3G por me permitir fazer isso no meio do mercado). Mas enfim, deu certo e comprei tudo o que precisava!

Passo dois: começar a receita. Separei tudo bonitinho na pia da cozinha, nas medidas corretas, e na ordem certinha já de acordo com a receita. Note ligado do lado, o video rolando e eu copiando igualzinho e trocando sms com a minha mãe pra ela ir me ajudando também. Coloquei no forno, e enquanto lavava as coisas, dei aquela lambida básica na colher com a massa crua e estava uma delicia!

De verdade, nem acreditava! Já me dei por vencedora naquele momento. Muito cedo…

Lindinho pronto pra assar!
Fui tirando foto do bolo no forno e mandando pra minha mãe: “Manheeee, ta crescendo, olha que lindo!!!” “Manheeee, acho que vai ficar uma delicia, e eu que fiz sozinhaaaaaaaa!” Blablabla, eu tava me achando com o bolo crescendo…e de fato, estava ficando lindo mesmo e o cheiro na cozinha estava me deixando loucamente ansiosa. Deu o tempo da receita, tirei do forno e deixei ele quetinho esfriando, exatamente como mandava na receita (e minha mãe concordou). Nesse tempo, fiz a cobertura: achocolatado em pó e leite. Simples assim. Ou não…

Deu o tempo do bolo, eu tirei da forma, mandei mais foto pra minha mãe e fiquei toda boba. O bolo tinha ficado lindo, e a minha forma tem coraçõezinhos (ounn) então fez o desenho no bolo…tava muito bonito mesmo! Fui colocar a cobertura e os erros começaram…

1 – Não tenho muita noção de quantidade. Fiz cobertura suficiente para um bolo de 1000kg porque queria ele “bem molhadinho.” Na hora de colocar no bolo, ela começou a escorrer pra fora da travessa porque estava muito liquida (e era muita!). Colocava de um lado e escorria do outro, e simplesmente não parava! A pia ficou uma beleza, toda preta e grudenta de chocolate. EU fiquei toda grudenta e cheia de chocolate. Ainda deixei cair uns pingos de cobertura no chão só pra dar um “tchan” a mais. Ok, depois de feita a caca, coloquei kilos de papel toalha debaixo da travessa para que, se continuasse vazando – o que obviamente aconteceu – pelo menos não ia pra pia. Limpei o chão e rezei pra não derrubar mais nada.

2 – Cantei vitória muito antes do tempo. O bolo estava bonito, cheiroso, e aparentemente gostoso! O bolo pronto ficou na mesa da cozinha só esperando o marido chegar em casa pra experimentar. Nisso, eu já publiquei a foto dele pronto no Facebook, mandei pra minha mãe, pro meu pai, pro meu irmão, pra minha cunhada, pra minha tia, pro meu vizinho e pro cachorro do síndico; “Olha que lindo o bolo que eu fiz! Meu primeiro bolo de cenoura!” Natália, nunca mais faça isso! NUNCA MAIS!

Bolinho pronto, cobertura delicinha (vazando pra fora do prato…) e coraçõezinhos S2

O marido chegou em casa, e eu toda ansiosa fui cortar um pedação pra ele experimentar e me falar o que achou. Eu casei com um homem extremamente sincero, e sabia que se tivesse ficado ruim, ele falaria numa boa, não falaria que ficou bom só pra me agradar. Ok, peguei a faca, o pratinho e…cortei. Demorou alguns segundos a mais do que o normal pra faca atravessar o bolo todo. Achei meio estranho, mas continuei e cortei o outro lado – que demorou igualmente. Quando tirei o pedaço e coloquei no prato, olhei direito e veio a decepção: ele estava bicolor no meio. Vulgo, CRU. Também conhecido como PEDRA ou ROCHA. Meu bolo lindo e cheiroso estava horrorosamente cru no meio. Não assou NADA. Eu comecei a chorar copiosamente e tinha vontade de abrir um buraco no chão e me enfiar lá – sem o bolo! De novo, tirei foto e mandei pra minha mãe, agora com outro tom: “Mãããããe, que que eu fiz errado??? Eu segui a receita direitinho, eu não presto pra cozinhar mesmo! Nunca vou aprender! Manheeeeeeeeeeee que que eu faço agora??? Socorroooo!” Ela tentou me acalmar e disse que provavelmente foi a temperatura do forno. Mas eu coloquei na temperatura que pedia na receita, e pré-aqueci antes, bonitinho! Ela então falou que poderia ser porque a grelha do forno não estava 100% no meio e isso influencia na maneira do cozimento e um monte de blablabla que eu não entendi. O fato era que o bolo estava cru e ponto final. Horrivel. Péssimo. Duro. Deveria ter comprador um pronto.

A decepção…(e a cobertura vazando e rindo da minha cara)

Meu marido me viu chorando com o pedaço de bolo cru na mão e começou a rir. MUITO! Gargalhava de mim e da situação! A cena estava linda: eu com a cara inchada e vermelha de tanto chorar, com um bolo cru na mão e a cobertura vazando e grudando em tudo. Ele, sentado e rindo horrores de mim. Pegou o pedaço que eu cortei pra ele, mordeu e…mais um ataque de riso! Eu já não sabia mais se continuava chorando ou se batia nele. “A cobertura tá muito boa, amor!” foi a frase que ele conseguiu falar entre uma crise de riso e outra. E continuou comendo…tudo! “Tá duro, mas tá gostoso sim!” Resumindo: o bolo foi embora em 2 dias e eu aprendi a rir mais de mim mesma (agora né, porque na hora…).
E o amor é realmente cego, surdo, mudo e sem paladar, porque comer um bolo cru e dizer que estava gostoso… é muito amor MESMO!

Fiz um bolo e errei, todo mundo erra ué! Foi meu primeiro bolo, a chance de dar errado era realmente alta… Desde então eu não fiz nenhum outro bolo ainda, mas acho que logo logo vai sair um… De preferência, assado por inteiro.

20 Comentários

  1. Rafael Noris Diz

    HAHAHAHAHAHAHAHHAHAAHAHAHHAAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA se eu que estou lendo eu ri muito, imagino o seu marido hahahahahahahahahhaa…

    Ai, ai… O importante é não desistir, né? Eu, a coisa mais elaborada que já fiz na cozinha foi yakissoba. A primeira vez que eu fiz eu tava meio bêbado e acertei em cheio. Ficou uma delícia! Mas a segunda e terceira vez… Ficou uma gororoba, mas fui aprendendo com os erros (é que eu tentava fazer umas firulas também).

    Bjs!

    1. Natália Correia Diz

      Rafa, ele CHOROU de rir lendo o texto e lembrando da cena! hahahaha O importante é que acima de tudo, a gente se divertiu 🙂 e eu vou tentar fazer uma receita de cheesecake que me mandaram logo menos, independente do resultado, vou postar! hahahah 🙂
      Beijos

    1. Natália Correia Diz

      hahahaha pode deixar que assim que sair mais uma (tentativa) de bolo eu publico pra vcs rirem mais 🙂

  2. Manu Costa Diz

    mto divertida sua história, tbm ñ sou mto boa na cozinha, mas consigo me virar com o básico, até q um bolinho acerto fazer, se for de caixinha então, melhor..rs…ñ desista..vai tentando q um dia dar..rs

    bjo

    1. Natália Correia Diz

      Olha, bolinho de caixinha ainda não tentei fazer, mas como manjo muito, provavelmente erro esse tbm hahaha mas é bem isso, errando que se aprende, tomara que o próximo fique melhor 🙂

  3. Samantha Quemel Diz

    Ouunnn florzinha, o seu bolo “solou”, é como a gente chama o bolo que cozinha por fora e fica cru por dentro, porém existem pessoas que adoram esse tipo de bolo, meu irmão por exemplo é um. Devia estar gostoso sim!!! Vc parece com muitas de minhas amigas, e pra elas não errarem sempre dou a mesma receita de bolo pra elas fazerem e elas morrem de alegria pq essa receita sempre dá certo! E da certo mesmo, pq até minha cunhada que erra receita de bolo pronto de caixinha acerta!!! hahahah…. se vc quiser te mando por e-mail ela detalhada, viu?!!! Assim como uma receita de Yakissoba facílima para o amigo de cima!!!! hahahah

    bjoss!!

    1. Natália Correia Diz

      Era esse termo que eu tentava lembrar e não conseguia, “solou”! Obrigada Samantha! rs
      Gostoooooso gostoso eu não achei que ficou não neé, mas o marido aprovou então tá valendo hahaha
      Ai, vou querer essa receita sim, pode me mandar! Toda receita fácil eé muito bem vinda! rs Obrigada! 🙂
      E pode mandar do Yakissoba tbm que eu encaminho pro Rafael hahaha 🙂
      Beijos

  4. Anna Carolina Basseto Diz

    Naty, a coisa mais fofa do teu texto foi ler que vc procurou uma receita de bolo de cenoura que não precisasse de batedeira. Até existem bolos de cenoura mais elaborados mas eu diria que mais ou menos 98% das receitas de bolo de cenoura SÃO de liquidificador… rsrsr
    ADOREIIII o texto!!!
    E te mandei uma receita de chilli. Quer fazer o favor de fazer, fazendo o favor? E depois contar por aqui se deu certo?
    Beijosssss querida

    1. Natália Correia Diz

      Anninha, isso apenas prova o quão tapada eu sou, nem sabia que a maioria era de liquidificador! hahahaha
      Eu recebi a receita do chili, esqueci de responder teu email! Vou fazer isso ja! 🙂
      Beeijo

  5. Anonymous Diz

    escreve mal pra car*** !

    1. Juliana Manzato Diz

      Olá Anônimo,

      Acho que realmente fica fácil falar com uma pessoa que não se identifica, mas mesmo assim, fazemos questão de responder os comentários.
      Assim como é dificil falar com um anônimo, é dificil também levar adiante uma critica sem saber ao menos quem fez a critica. Sua opinião é muito bem vinda, desde que se identifique e fale quais são os pontos que não gostou no texto da Natália. Sua opinião é diferente de tantos que gostaram, compartilharam e comentaram esse post.
      Acho que deveria no mínimo respeitar a Natália, que está estreiando a coluna, prestar atenção no fato de ser “covarde” e não se identificar e principalmente em olhar para o próprio umbigo. Julgar assim, sem argumento, é bem feio.

    2. Rubens Gualdieri Diz

      Oi Anônimo, você escreve bem pra ca***! Diferenciou o maL de maU, embora tenha começado o parágrafo com letra minúscula. tsc tsc tsc. Mas tudo bem, a gente releva. Deve ter sido a pressa ou a emoção.
      Pela sua educação percebe-se que foi educado em Hannover, uma ótima escola pra cavalos da Alemanha.

    3. Natália Correia Diz

      Oi Anônima (sim, no feminino…vamos combinar que isso não é coisa de homem né?!)

      Em primeiro lugar, obrigada por gastar uns minutinhos do seu tempo e ler o meu texto de estréia aqui no blog 🙂
      Em segundo, nós do Dona Oncinha aceitamos todo e qualquer tipo de critica, nosso intuito é sempre fazer o blog ir pra frente e melhorar o que precisa ser melhorado.
      Pelo visto, algo no meu texto não te agradou, o que não é problema nenhum, já que é impossível agradar todo mundo. A próxima vez, peço que explique seu ponto de vista e diga o que não te agradou. No meu próximo texto eu tento melhorar 😉 Ah, e se você pudesse se identificar seria melhor, viu? Se você se acha feia, digita “topmodel” no google e pega uma foto qualquer 🙂

      Beijos

  6. Anonymous Diz

    Percebi que recebem e MUITO bem críticas pela resposta do Rubens!

    1. Juliana Manzato Diz

      Opa, de novo Anônimo?! Sendo irônia ou não esse seu comentário.
      Recebemos muito bem as críticas, mas comentário mau educado não relevamos. Falar que uma pessoa escreve mal assim, a torto e a direito, não precisa. É simples, ao invés de chegar com o pé no peito, mande um recado educado, pode ter certeza que a crítica vai ser muito bem recebida. A idéia é só melhorar o blog!
      Espero que tenha entendido o posicionamento do blog em relação as críticas e que se for leitor(a) do blog, vai entender muito bem o nosso posicionamento relacionado ao comentário acima.
      Dá próxima vez se identifique, fica mais fácil falar “cara cara” com quem a gente sabe pelo menos o nome!

    2. Rubens Gualdieri Diz

      Você tem toda razão, sou intolerante a anonimato. Sorry. Ou não. É o meu jeitinho.

  7. Roberta Diz

    Nossa, me identifiquei MUITO com o texto. Até pq meu bolo de cenoura ainda está quentinho… E solado… E com gostinho de óleo… Enfim, todo errado, tadinho. Realmente sou uma negação na cozinha. Mas a intenção foi das melhores e o namorido até conseguiu fazer uma cara boa comendo, só p/me animar, rs. Aaaaai, o amor… Bjks.

  8. Vanessa Tosatti Diz

    Olá Natália!

    Olha suas confissões para ser sincera me deixou até mais conformada com meu bolo de cenoura que acabou de sair do forno…
    Estou passando uma temporada na casa do meu irmão (recém-casado e minha cunhada assim como você sofre demais com a cozinha), entrei na internet na tentativa de salvar meu bolo de cenoura cru 🙁
    Quando me deparei com o este site e suas confissões…

    Ai pensei: “bom pelo menos o meu bolo esta assado nas bordas”

    Felicidades e NUNCA desista de fazer um bolo, de preferência assado por completo.rsrsrsrsrs

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.