Depois de toda confusão

2

Leia ouvindo: Take Me To Church (Acoustic Cover)

Não é desleixo e nem preguiça. É confusão mesmo. Nunca tive vergonha de perguntar as coisas nessa vida, mas vocês precisam entender que estão fazendo tudo de qualquer jeito. Na verdade nunca foi assim. Vocês não aprenderam assim nos livros, nem no cinema. Não aprenderam em casa, pois contam aos seus pais exatamente ao contrário do que vocês fazem. Eu tô mais do que confuso pra ser sincero. Eu tô perdido. Completamente perdido nessa bagunça que vocês transforam os relacionamentos e a culpa nunca foi minha.

Eu não fui o primeiro homem dela. Adoraria ter sido, mas não fui. As dimensões continentais desse país foi a verdadeira culpada de nascermos tão distantes um do outro. Então foquei em ser o melhor que ela já teve. Pois é assim que as coisas deveriam ser. Sem que a gente tentasse apagar as memórias, mas sim aprender com elas. Queria tocar aonde não doesse, acariciar as feridas e acalentar os medos. Queria ser simplesmente tudo o que ela merecia.

Mas essa confusão de vocês não deixou.

Eu conheci o sorriso mais apaixonante que meus olhos já cruzaram com um prazo de validade. Completamente escondida atrás da maquiagem pesada, que me irritavam por esconder aquelas belas sardas. O olho com um traço forte como se quisesse avisar para presa que ela estava completamente focada na caça. Que hoje ela não escapa. Um olhar de felina, que me deixou completamente imóvel e apaixonado.

Quando tentei trocar minhas primeiras palavras, talvez fosse um pouco fora da curva dos dias atuais. Não puxei e nem agarrei. Me apresentei cordialmente e tentei usar todas as minhas técnicas de sedução ensinadas por revistas. A mídia dizia que o cavalheirismo estava fora de moda. Eu com meu chulo conhecimento de marketing, enxerguei uma oportunidade de mercado incrivel. Seria a lei da oferta e da procura. Se você entrega o que o consumidor procura ele se torna fiel a você.

Foi nesse momento que o mundo enfiou a palma de uma mão gigante na minha cara.

Garoto, não é assim.

Pois naquela noite, você não olhou nos meus olhos enquanto eu buscava chamar atenção dos teus. O seu rancor fez com que você não ouvisse nenhuma voz masculina com boas intenções. Seus pré julgamentos fizeram todos os homens iguais debaixo do céu. Sua saudade fez seus olhos encherem de lágrimas, quando seu celular avisou que o coração dele tinha seguido adiante. Era só uma foto. Mas pra você ela já dizia tudo e mais um pouco.

Jorge

[ Imagem: reprodução ] 

Quando você aceitou o meu beijo, não era pelo meu papo que eu acreditei que estava funcionando. Foi pra que um amigo dele enxergasse, assim sua inteligente (e madura) vingança estaria completa. Aceitou a minha carona, entrou no meu carro e quando sentou na minha cama desabou em prantos. Nunca tinha deitado na mesma noite com ninguém e seu impulso cego fez o pano do seu vestido esfregar no meu lençol.

Foi então que eu sentei e sorri. Tragicamente, é verdade, assistindo seu show.

Quando você parou de soluçar, sua voz não era mais a mesma. Não era a carregada de prepotência que segurava um copo. Nem a embargada que ficou se julgando descabelada e sentada na minha cama. Era só você. Pela primeira vez, assumidamente você. Sem maquiagem ou máscaras. Com a coluna pesada de tanto carregar uma culpa que nunca foi sua, mas que ao invés de entender você preferiu assumir.

Entreguei seu casaco e um copo de água. Decidi que você me escutaria e eu tentaria te ajudar.

Você então engoliu seu último choro.

Eu te expliquei que não sabia muito de encantos e romances, mas que eu adoraria tentar viver um com uma pessoa que nem você. Que de todos os teus timbres, o mais bonito é o tom da sua risada. Que se eu chorei a vida toda, nunca derramei metade das lágrimas que você derrubou no fim dessa noite. Que se você chora por culpa sua, comece a engolir suas lágrimas pra ver se pelo menos com o gosto delas você aprende a valorizá-las. Se chora por culpa dele talvez você não saiba que discernimento é separar o certo do errado. Chorar por um erro que não é seu, é burrice. Expliquei que sou confuso por pessoas como você, que esperam saudades virarem rancor. Que deixam que a culpa se transformem em medos. Que chamam sonhos de amores em tolice. Que não ligam no dia seguinte por se preocuparem com o que a sua amiga iria pensar. Sou confuso pois vocês acham anormal que abra a porta do carro e te vista com meu casaco se você sentir frio. É que cavalheirismo virou flerte, mas na verdade sempre foi o básico da boa educação. A culpa é somente sua quando param de chegar coisas boas no seu coração.

Então ela ficou em silêncio e pegou na minha na minha mão.

Agradeceu as palavras e me abraçou pedindo proteção.

Demos um beijo completamente diferente do primeiro.

E então começamos de fato a nos conhecer. Depois de toda confusão.

2015_Jorge Pedreira

Jorge Pedreira

Jorge Pedreira

Dois pra lá. Óculos, ruivas e drinks. Dois pra cá. Livros, cinema e futebol. Um passo para trás, falar de amor é moda, volta girando. Rimos muito. Mal me conhece e já dançamos.
Jorge Pedreira

Últimos posts por Jorge Pedreira (exibir todos)

2 Comentários

  1. Bruna Guio Diz

    Textasso, né?! Tapão na cara meeesmo! 😉

  2. Giovanna Diz

    TEXTO MAIS QUE PERFEITOOOOOO!! Quero ler 50x

    Já estava com saudade dos textos que completam meus dias… Que benção que esse blog voltou rs

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.