Ela esqueceu a noção em casa

0

Ela esqueceu a noção em casa. Sim, decidiu deixar a pobre noção trancada no armário, esquecida, sem luz e amiga das traças.

Achava natural ter mais de 2.000 amigos no facebook e convidar todos para a sua festa de aniversário.  Para ela era natural ter vários ex namorados e ainda ter uma ligação de afeto com a família de cada um deles. Sem contar os gracejos via inbox ou cutucadas distribuídas por ai. Ela também achava comum discutir com alguém e deletar do facebook, porque era uma maneira de cortar relações com aquela pessoa. E as fotos de vestido colado, peitos e bundas à mostra? E quando estava em um “relacionamento sério” fazia questão de mostrar com fotos e declarações repetidas, durante todo o dia. Para ela, esse tipo de coisa era comum.

Ela também achava comum o preconceito rolar solto entre os amigos. Gostava de criar perfis falsos no facebook para saber da vida alheia, para provavelmente vasculhar uma felicidade que ela não tinha. Achava um máximo quando o namorado da amiga dava “like” em suas fotos. Ela compartilhava frases de amor, de raiva, de pegação, e ainda finalizava o dia com um “foda-se”. E assim ela se perdia, sem se encontrar na próxima virgula da história.

Ela é aquela garotinha que todo mundo tem no facebook, e que faz a gente morrer aos poucos, de vergonha alheia. Ela também é aquela sem noção que cruza a sua vida para te mostrar o que não ser. Ela é uma parte da humanidade que não conseguiu criar repertório, entender o certo e o errado, e que por muito menos ultrapassou a fronteira do bom senso e seguiu em frente. Alguns chamam isso de coragem, transparência… Não para mim. Não ter bom senso em tempos atuais, é grave. A inversão de valores se tornou comum, pobre mundo.

{ Imagem: reprodução } 

Bom senso, diferente do que as pessoas acham, não está ligado à dinheiro, assim como boa educação. Ninguém precisa saber comer em uma mesa “à francesa”, mas precisa saber o que é bom senso. Como vocês já devem saber, fui criada por uma avó que apesar da simplicidade (por ter sido criada na roça!!!), me ensinou o verdadeiro significado de gentileza, bom senso e limites. Coisas bobas que fazem a diferença, justamente por ninguém mais fazer.
Vai visitar alguém? Leve um agrado.
Vai dormir na casa de alguém? idem.
Amigos? São aqueles poucos e bons.
Relacionamento sério? Compromisso.
Deixar os ex’s namorados/maridos/ficantes no passado é regra, junto com toda lembrança, claro. Ninguém precisa saber que eles existiram, a não ser você mesma.

E a mais importante de todas as lições: se vai tomar qualquer atitude, pare, pense e se coloque no lugar da outra pessoa.
Você gostaria que a ex-do seu atual namorado/marido/ficante ou seja lá o que for, tivesse contato com a família do seu amado? A resposta é não. Simples né? Amizades acabam, é natural. Expor o corpo e a vida é desnecessário, acredite. Vai atrás de conteúdo… é tão mais bonito! Os namorados das suas amigas são OUTRAS MULHERES, se algum deles vier com graça, é só cortar. Bom senso é respeito, é entender de limites, é tentar olhar mais para o outro e menos para si.

Respeito, bom senso e limite, combinado?

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.