Eu e você

0

Seu sorriso bonito, sinuoso, de canto não bastou, amor.
Eu queria um monte de coisa que você não soube me dar, amor.
As mãos entrelaçadas em qualquer fim de tarde nunca foi teu forte, e as vezes era só isso que eu queria, amor.
Um verso, uma palavra, qualquer demonstração de afeto simples me faria feliz às vezes, amor.

Queria te dizer que no amor as coisas mais simples é que fazem dele algo tão especial. É no dia a dia, no abraço, no cafuné e no riso que o sentimento se manifesta. Talvez você não saiba disso, e eu não me sinto à vontade para lhe ensinar como se deve amar alguém. A vida vai fazer isso, ou outro alguém talvez.

{ Imagem: reprodução } 

Sabe? Não basta ter lá na sua rede social “relacionamento sério” se você leva tudo na brincadeira.
E por mais que tudo me leve até você, irei fugir. Fugir de algo que por mais que eu queira não consegue me preencher. As pequenas lacunas ficam lá jogadas ao leo. Você não faz questão. E agora? Agora nem eu.
Vou levar na memória teu riso que sempre conseguiu tirar o meu, você leva aquele meu disco que adoras e assim lembraremos um do outro com um pouco de felicidade. Felicidade sim, esta que esteve entre nós pelo tempo que durou.
Acabou, amor! A linha tênue se quebrou. O que restou fomos eu e você, assim, exatamente como se escreve: separados.

Foi bom, amor!

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.