Eu já joguei tanta coisa fora

1

Já joguei discos, revistas, bilhetes, cartas e velhas fotografias. Já joguei até amor fora e depois quis buscar na caçamba emocional. Quem nunca?

A verdade é que limpar a vida é necessário. Algumas lembranças não precisam ficar ali, ocupando um espaço que poderia guardar qualquer outra coisa tão mais bonita. Pessoas também não precisam ficar ali fazendo o papel de uma samambaia mal encaixada na decoração, da sua vida.

A casa e a vida ficam melhores sem velhas lembranças. Os móveis a gente muda de lugar, as paredes a gente muda de cor, as lembranças a gente joga fora e as pessoas a gente tira da vida (e em tempos atuais, do facebook também!). Tenho que concordar que algumas lembranças precisam ficar com a gente, lá no coração ou na caixinha de recordação. Tem lembrança doce, com gosto de algodão-doce e que vem com a vontade de viver aquilo de novo, e de novo, e de novo.

{ imagem reprodução } 

Tem coisas que a gente consegue levar com a gente em caixas, nas próximas mudanças de casa/vida, e existem aquelas outras coisas que a gente só leva no coração. O resto… bem, o resto é resto. Se não cabe mais na nossa vida, não vale à pena, e se não vale à pena….

Desapego é uma das coisas mais sábias da vida. Pratique sem medo! Jogue tudo fora se for preciso, e comece tudo de novo quando achar necessário.

1 comentário

  1. Ludy Diz

    Meu Deus! É impressionante como os seus textos são como injeção de ânimo e vigor, e coragem pra mim! Amooo, amoo!
    E parabéns! 🙂

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.