Falta de ar

0

Estranho a minha falta de ar. As mãos estão molhadas de suor. O coração dispara. Frio na espinha? Já virou companheiro. É amor, daqueles bons sabe? Falta chão para os pés.
É amor diferente. Encaixado como a última peça do quebra-cabeça, que estava lá o tempo todo te esperando. Esperando o momento certo para se encaixar e completar o espaço que faltava.

Imagem: reprodução 

Quando você acha a pecinha final do quebra-cabeça, entende por que todas as outras davam errado, apesar da insistência e as vezes desistência. Logo pensa: quantas vezes quis deixar o quebra-cabeça de lado por que achava que não ia conseguir? Inúmeras.
Ufa, não desistiu! Persistência é uma boa palavra. Algo mágico sempre acontece quando a gente menos espera.
Caio Fernando estava certo, Deus capricha, e quando você menos espera a pecinha que jamais achava que iria encontrar estava ali, te esperando.

Não consegue segurar o sorriso só de pensar! É tanto amor, que chega a engasgar com a saliva que sobra na boca. Não tem palavra, demonstração ou declaração que resolva.

O olhar ainda é a melhor forma de amor que inventaram. Pelo olhar dá para ver a alma, a calma… o coração. O olhar não engana, sei que você também me quer, daquele nosso jeito, com o nosso amor (você também sabe que é amor dos bons, daqueles poucos que fica na vida). Não é a toa que escrevemos a nossa história diariamente, com olhares e falta de ar, como ainda falta ar.

Não tenho dúvidas que é você, o capricho que eu esperava. A pecinha do quebra-cabeça que demorei para encontrar, e como num passe de mágica era a que eu tanto procurava.

O meu desejo? Que o ar continue faltando, que o coração continue quente e disparado e que a nossa felicidade vire rotina. E em pensamento digo amém, para eternizar mesmo que em silêncio a nossa escolha. Eu e você. E assim vai ser.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.