0

Leia ouvindo: José González – Step out

Sou a continuação de uma família prioritariamente católica. Fui batizado como tal, mas ao longo do meu amadurecimento, começaram a surgir os primeiros questionamentos sobre religião.

Hoje continuo católico de batizado, mas pouco praticante e seguidor enquanto crença e ideologia. Não porque acho errado, apenas porque algumas coisas deixaram de fazer sentido. Foi preciso buscar outros “caminhos”.

Kabbalah, budismo, ateísmo. Passei por algumas linhas de estudos até encontrar alguma que fizesse novamente sentido para mim. O interessante foi perceber que, independentemente da linha religiosa, existe algo que é comum em todas as doutrinas que me debrucei: a fé.

Fotografia: Juliana Manzato

Precisamos crer em algo. Seja lá o que for, é importante que tenha algo que nos mantenha de pé nos momentos mais difíceis da nossa vida. E não se engane, não há vida sem problemas. Eles fazem parte da nossa caminhada e não temos muito controle sobre. A parte que controlamos é a maneira que reagimos a eles. E aqui entra a fé.

Em um mundo onde as coisas parecem fazer cada vez menos sentido, cada vez mais efêmero e superficial, é na fé que podemos encontrar a referência sólida que tanto procuramos.

Crer em algo não impede os tombos da vida, mas certamente auxiliam no processo de reerguimento.

Permita-se crer em algo. Seja lá o que for. Apenas busque algo que faça sentido para você.

E não se preocupe: você vai saber quando encontrar!

Tiago Fiamenghi

Tiago Fiamenghi

Sou o que sou. Sonhador, idealista, realizador. Empreendo socialmente e acredito que pequenos gestos podem sim fazer uma grande diferença.
Tiago Fiamenghi

Últimos posts por Tiago Fiamenghi (exibir todos)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.