MEU PRÓPRIO LAR

0

Leia ouvindo: Edward Sharpe & The Magnetic Zeros – Home

Entrei por aquela porta e respirei um ar novo. Ele tinha cheiro de desconhecido, de aventura, de frio na barriga e determinação. O ambiente estava vazio, um pouco frio, mas mesmo assim me inspirava sonhos coloridos e ideias mirabolantes.

O clique do trancar da chave parecia o som da ativação de um retroprojetor. Na minha frente, eu quase podia ver as imagens que passavam pela minha cabeça. Elas mostravam meu passado, minha trajetória, todos os passos que dei desde o início, até onde minha consciência alcança. Eu dava sorrisos para os momentos bons, quase chorava nas partes ruins e, principalmente, gargalhava das voltas que a vida dá – a gente acha que tem controle sobre ela.

Eu sentei ali naquele chão, sozinha, fechei os olhos e respirei. Em nenhum momento sentia dentro de mim que estava totalmente certa da minha decisão – isso porque demorei, na fase adulta, a começar a toma-las e a insegurança se sentiu à vontade para fazer morada em mim. Mas orei. Pedi que qualquer força maior do universo me desse as mãos e caminhasse comigo rumo ao “vai valer a pena”. E eu tenho certeza que vai.

Fotografia: Juliana Manzato

Recomeçar é sempre um desafio. Nem sempre significa reerguer-se após algo ruim, apesar de carregar essa conotação. No meu caso, significa deixar para trás a vida que levo e encarar, de uma vez por todas, essa fase nova que chegou. Nem tudo que hoje é realidade há de se desfazer: muitos velhos costumes e rotas vão se manter. Mas é como se uma nova estrada tivesse, magicamente, sido construída. E é por ela que eu devo transitar.

Não é a casa própria, mas é o meu próprio lar. Trago pra dento dele esperança, amor e desejos de equilíbrio que, espero, serão capazes de afastar toda e qualquer vibração ruim. É o início de uma vida desconhecida, mas o crescimento da certeza de estar no caminho certo.

Entre pratos, panelas, panos e poeiras, a palavra que se inicia com a mesma letra de todas essas, que eu mais acredito em presença, será a PROSPERIDADE. E que assim seja. E que seja eterno enquanto dure. Mas que, por favor, seja qual for o endereço: que a felicidade dure para sempre.

Bianca Carvalho

Bianca Carvalho

Uma carioca branquela, bagunceira e desbocada. Uma mulher questionadora, inquieta e expansiva. Uma amante do mundo, dos cachorros e de pessoas apaixonadas pela vida.
Bianca Carvalho

Últimos posts por Bianca Carvalho (exibir todos)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.