MOVIMENTE-SE | YOGA, O INÍCIO

0

Leia ouvindo: Krishna Das – Shri Guru Charanam

Eu havia me interessado pelo yoga outras duas vezes antes dessa, tão marcante e definitiva na minha vida.

Diferente do que muitos imaginam, o Yoga não é “modinha”, que dirá religião. No livro “O coração do Yoga”, uma das frases que mais define o Yoga para mim é essa aqui: “Yoga é tanto o movimento em direção a um ponto quanto a chegada nele”.

Do livro: O coração do Yoga | Fotografia: Juliana Manzato

O Yoga é um chamado. Uma vibe que não “bate” em todo mundo, e só recebe tal chamado, quem realmente enxerga, entende e se entrega por completo para a mudança que precisa acontecer. Não é uma prática de relaxamento, pelo contrário, é uma pratica que te coloca dentro da pureza dos mais profundos questionamentos.

Tem dias que o Yoga é abraço, e tem dias que é total desconforto. E o processo consiste nisso, encontrar um ponto de equilíbrio, e consequentemente, conexão. Quando esse delicado fio é ligado, prepare-se, nada será como antes.

Decidi me dar uma terceira chance no Yoga, eram tempos de mudanças radicais na minha vida. Sai da minha zona de conforto e descobri feridas que até então não doíam. Foi a fase mais dolorida e transformadora da minha vida.

Não era só a prática do yoga que me confrontava, era também a meditação. A minha mente não gostava de ficar quieta e tudo que ela mais fazia era pegar um chicote para bater com força. Provavelmente queria ver até onde eu iria. E foi nesse momento, que eu chamo carinhosamente de “chicote interno”, que eu me abracei e entendi que tal teste só acontecida, por que eu permitia.

Iluminou! Não como Buda, claro (!). Mas a partir do momento que eu entendi que ao invés de controlar eu deveria observar, deixei de me identificar com o que minha mente pensava e tive a minha primeira experiência real de compaixão.

Apesar da foto ter sido feito no templo Budista, vale lembrar que o Yoga não está ligado a nenhuma religião. Nem mesmo o hinduismo, tão comum na India. | Fotografia: Juliana Manzato

Pronto! A compaixão que até então eu tentava com o outro, precisava primeiro ser vivenciada por mim. E foi à partir dessa fantástica experiência que eu entendi o Yoga e suas mudanças.

Nesses primeiro um ano e meio de grande dedicação à essa prática, eu li muito, pratiquei menos do que gostaria, mas apliquei no meu dia a dia ensinamentos que fizeram não só da minha mente, mas meu coração, muito mais leve.

Longe de de mim dar dicas de como começar a prática, até por que, pode ser que o yoga não seja para você, mas a meditação pode ser, e vice e versa. Não importa qual é o seu objetivo, o caminho até ele será um baita aprendizado.

Mas, se eu pudesse ser uma facilitadora do seu processo, provavelmente te indicaria essas três leituras:

1. Comece com “As sete leis espirituais da Yoga”, Deepak Chropra não é o meu escritor favorito para o tema, mas nesse livro consegue trazer com muita simplicidade a base do Yoga.

2. Em “10% mais feliz”, Dan Harris, conta sua experiência com a meditação e o quanto a prática se tornou essencial para os seus dias. O livro contem ótimas ironias. Dá para odiar e amar o Dan em questões de segundos, mas no final, bem, descubra você mesmo.

3. “O coração do Yoga”, Sir Tirumalai Krishnamacharya, um dos maiores yogis da era moderna, fez um bem para a humanidade, deixou para o seu filho, Desikachar, todos os seus estudos e teses. Esse livro nos presenteia com infinitas explicações teóricas da prática do Yoga. Práticas essas voltadas para cura e transformação.

É um livro bem teórico, mas de uma importância imensa para quem está começando os estudos e prática. Vale cada linha!

Fotografia: Juliana Manzato

Além da leitura, indicaria uma aula experimental. Faça uma aula experimental de Yoga! Talvez iniciar a prática pelo Hatha Yoga, a mais clássica, seja um bom experimento.

E não se fruste se você não gostar da primeira aula ou achar que não é para você. Lembre-se que o Yoga além de ser um chamado, inicialmente, pode apresentar certos desconfortos. Afinal de contas, você, sua mente e o seu corpo estão saindo da zona conforto.

Você não precisa forçar nada, apenas abrace a oportunidade e observe.

O Yoga é para todos, mas não espere um inicio fácil. Toda transformação exige desapego. Prepare-se, essa pode ser a melhor viagem da sua vida.

Namastê!

Juliana Manzato

Juliana Manzato

Apaixonada por amor, cachorros, textos e coisas inspiradoras.Adora fotografia, mar, sol, doce de padaria, verão e olhar o céu azul. Faz da vida poesia e textos. Muitos textos!Sonhos? Vive deles
Juliana Manzato

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.