Não beba leite!

0

Já fiz alguns amigos bebendo leite, mas bebendo cerveja… fiz muitos outros. Bem mais divertidos, confesso.

Quer ter amigos loucos, que topam as maiores aventuras e loucuras? Que adoram uma festa? Que são companheiros? Que aproveitam a vida? Faça amigos bebendo.

Adoro gente louca, sem limite, sem frescura e que curte sentar na mesa do bar e beber uma cervejinha, uma caipirinha ou qualquer outra coisa e jogar conversa fora. Curto gente que puxa papo com a mesa do lado, que interage, que aproveita a festa, que gosta de conhecer gente.

{ imagem reprodução } 

Sim! Gosta de conhecer gente sem saber quantos dígitos tem a conta bancaria ou se o carro é do ano. Com cerveja rola papo, desabafo, samba.

{ Caretas de plantão, beber é divertido sim! Óbvio que sou contra excessos, cair, dar trabalho, entrar em coma alcoolico. Mas convenhamos, uma cervejinha não faz mal para ninguém! }

Sou à favor da diversão! De gente conhecendo gente, de sorriso no rosto, de cabeça aberta para rir de si mesmo em uma mesa de bar e se diverte com pouco.

Acho que as pessoas são caretas demais, fechadas no próprio mundo que por vezes é uma chatice só. Se abre! Se joga! Don’t stop the party!!!!! Please!

Quando a gente diz: Mais amor, por favor! A gente quer dizer que quer gente aberta, gente feliz, gente que ama conhecer gente, que ama saber do outro, que se diverte junto com o outro, que se preocupa com o outro. Se abram para o novo, conheçam novas pessoas, pelo amor de Deus!

Em alguns lugares (Oi Campinas!) os homens gostam de mulher chata, nariz empinado, que não sorri, que não olha para o lado, que não faz amigos, que não tem um pingo de simpatia – nem com homens, nem com gente. Tem mulher que acha um máximo ser assim e viver numa bolha, tomando leite. Sabe o que eu acho? Eu acho que vocês estão errados! Larga mão de ser “gente chata, sem nenhuma graça”. Se tanto homens quanto mulheres não conseguem se divertir, pra quê sair de casa? Vai beber leite e comer bolacha maizena.

{ Imagem reprodução } 

Me desculpem, mas troco a caneca de leite, pela turma da cerveja, dos amigos reunidos, falar alto, de descer até o chão, de gargalhar e de sentar na mesa do bar para me divertir. Prefiro viver de sorriso fácil, do quê ficar com cara de leite azedo por ai.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.