O dia que eu descobri que não era amor

1

Não tinha mais chão para os meus pés, nem tanta alma no meu corpo, tinha apenas o necessário para  continuar respirando. Acho que eles (o chão e alma) devem ter fugido para algum lugar seguro, naquele momento eu não era mais um porto seguro, era eu mais um barco perdido num mar de lágrimas.

{ Imagem: reprodução } 

Cheguei do trabalho e decidi que naquele dia não iria acender a luz da casa. Fui até a cozinha, peguei uma cerveja e sentei no meu velho sofá. Quem estava ali comigo além da escuridão, era o silêncio. Silêncio e horizonte são duas coisas que servem de consolo. Não tinha dor, culpa, ou coração. Tinha lágrimas e um vazio absurdo. As borboletas do estômago fugiram e ali sobrou um abismo.

Depois daquela primeira cerveja que desceu bem mais amarga do quê o normal, vieram outras. Acabei com todas que estavam na geladeira. O vazio era tanto que até a bebida se perdeu ali. A bebida foi uma fuga, pena que fugir mesmo não consegui. Estava presa no meu vazio. Puta sensação de nada.

Chorei de novo. e de novo. e mais uma vez. Todas as vezes soluçando, perdendo o ar e voltando a realidade. Essa parte é aquela em que a vida te bate bem mais forte do quê esperava. Eu não podia fazer nada, não era amor. Acho que não era nada. Foi um tempo vivendo no sonho bom. Amor deve ser isso, um sonho bom que acaba e deixa um vazio. Sabe aquela sensação de querer voltar para o sonho? Mais ou menos isso.

Mas talvez aquilo que eu chamo de amor, não seja pra mim. Amor é para quem tem coragem, e definitivamente eu não tinha mais coragem, portanto…

O tempo passou e eu continuava ali, não tinha mais lágrimas só o vazio. Não tinha mais a cerveja para me levar para um outro lugar, tinha a realidade. Não que tenha sido um dos piores dias da minha vida, mas descobrir que não era amor, deixou o meu mundo um pouco mais vazio.

Não queria ver sentido nas coisas, queria recolher meus cacos em paz. Não era triste, era mais uma decepção. A última, como havia prometido para mim, e todos os anjos e santos. Ainda procuro o chão, a alma e a coragem. A única certeza é que existe o amanhã e a gente não sabe o que vem depois da esquina, mas só o fato da certeza estar ali, já ajuda muito.

1 comentário

  1. Jack Diz

    *Abraça* Só quem sente a dor, sabe o quanto dói.
    Um beijo carinhoso no seu coração que mesmo quebrado, ainda é todo amor! ♥

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.