#OVERÃOINSPIRA | CARTA ABERTA

0

Leia ouvindo: Baiana System – Cigano 

Insisto nas boas vindas, acho que em tempos da falta gentileza, educação e doses de hospitalidade fazem um bem danado. Vale para receber pessoas em casa e vale para aqueles projetos que acontecem todos os anos.

#OVERÃOINSPIRA recebe carta aberta, escrita com o coração. Recebe carta branca também. Confio plenamente que incríveis surpresas estão por vir e vou abraçar todas de maneira única e especial. É o quinto ano de um projeto que chegou sem grandes perspectivas, mas surpreendeu pelo tanto de gente que abraçou. É assim, amor se constrói com amor, oras!

Eu tenho um apreço imenso pelo verão, talvez pela quantidade de histórias que carrego comigo. As melhores da minha vida, diga-se de passagem. Sempre acho que o verão traz aquela dose de coragem que por vezes falta nas outras estações.

A energia do sol, os dias mais longos, o céu mais azul, a água do mar mais quente, o banho de cachoeira como presente. O picolé de fruta, o caldo de cana gelado, a vida sendo vivida mais do lado de fora e despertando na parte de dentro. O biquini, a camiseta, o shorts jeans, os chinelos, o cabelo bagunçado, a cerveja gelada, o vinho branco, o açaí com banana, água de coco, água da bica, água de chuva. O vestido soltinho, o moço sem camisa, pegar onda sem roupa de borracha, o cabelo mais claro e a pele mais escura. A soneca na rede, a viagem com os amigos, violão com colo, cadeira de praia, beira mar, maresia, finais de semana sem ter hora para acordar, mas aquela vontade imensa de aproveitar.

Fotografia: Juliana Manzato

Depois de insistir em olhar para dentro, a gente vai viver lá fora. Qualquer boteco é motivo para reunião, qualquer final de semana tem diversão, tem horário de verão, final de tarde no parque, tem pôr do sol bonito na cidade, tem pancadas de chuva para trazer amenidades e lembrar que até as piores tempestades passam.

Muito já vivi no verão, mas todas as vezes que chega a hora de dar boas vindas as palavras fazem falta. Repito ano após ano que verão é verbo. Verbos. Movimento. Inspirar, transpirar, respirar e estar. A inconstância dos dias lembra a vida: nada é, tudo está.

No verão pode ser que chova logo na hora do almoço ou pode ser mais para o final da tarde. Pode ter um amanhecer de tirar de fôlego e um entardecer digno de ser compartilhado para receber likes. Pode ter dias de calor insuportável, e dias com brisa fresca. Pode ter dias para dormir com ar condicionado e pode ter dias para dormir com janela aberta.

O verão de verdade nem chegou mas é como se ele sempre estivesse presente por aqui. Talvez seja o despertar para mudar de conjugação verbal para estado de espírito. Não duvido, a gente vive tentando explicar o amor por algumas coisas que não precisam de qualquer explicação, elas são.

Uma carta aberta, seguida de uma carta branca. Eu não sei muito bem o que esperar dele, mas ele sabe muito bem o que vai querer de mim.

Vem verão!

#OVERÃOINSPIRA #ELAEOVERÃODELA

Juliana Manzato

Juliana Manzato

Apaixonada por amor, cachorros, textos e coisas inspiradoras.Adora fotografia, mar, sol, doce de padaria, verão e olhar o céu azul. Faz da vida poesia e textos. Muitos textos!Sonhos? Vive deles
Juliana Manzato

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.