#OVERÃOINSPIRA | MERGULHO

0

Leia ouvindo: Nicola Cruz – La Cosecha 

Desde a primeira conversa tinha percebido que tinha alguma coisa diferente ali. Deve ser intuição feminina como dizem. A gente percebe quem um dia vai dividir um vinho, roubar um beijo, amassar o lençol com aquele alguém. Nem sempre nessa sequência, nem sempre com esses acontecimentos juntos.  A gente só sabe que um dia vai.

Geralmente esse dia demora para chegar, afinal de contas, tudo que tem que acontecer, acontece quando tem que acontecer. Pode até parecer meio redundante, mas é exatamente assim. Não adianta ficar ansiosa tramando isso ou aquilo. Quando simplesmente optamos pela lei do mínimo esforço, percebemos que o universo vai se esforçar de verdade para trazer esse tão esperado dia.

E quando o tal dia chega, tudo faz ainda mais sentido. Se a intuição não falha, não criar expectativa parece ser a chave para abrir a porta do universo e receber as surpresas. O encontro acaba sendo muito melhor do que qualquer outra coisa que tenha sido planejada.

É como mergulhar no mar, se nas primeiras vezes gerava muita expectativa agora cada mergulho se tornou único, aproveitado ao extremo, carregado de sensações boas. Se antes era ansiedade, agora é pura presença. Encontros como esses dão aquela sensação de alma lavada deixada para secar na areia.

Fotografia: Juliana Manzato

Você provavelmente não estava consciente disso, mas a sua intuição disse sim naquela primeira conversa. Sua alma sabia que precisava dar um mergulho em uma praia diferente. Ela precisava provar o novo, mesmo o novo não sendo tão novo assim. Ah, o prazer da descoberta!

Assim deve ser, deixe o universo resolver. Deixe o que tiver que ser, acontecer. Sua intuição vai te guiar até o próximo mergulho. Sua alma sabe quando precisa ser lavada, não se preocupe tanto. A única coisa que te peço é intensidade. Seja profunda, intensa e com presença em cada pedacinho de vida que escolher.

Por vezes o encontro não acabará em mergulho para lavar a alma, e tudo bem também. Só esteja presente para dividir o vinho, ter o beijo roubado ou o lençol da cama amassado. As vezes é só um banho de ducha para dar uma revigorada.

Juliana Manzato

Juliana Manzato

Apaixonada por amor, cachorros, textos e coisas inspiradoras.Adora fotografia, mar, sol, doce de padaria, verão e olhar o céu azul. Faz da vida poesia e textos. Muitos textos!Sonhos? Vive deles
Juliana Manzato

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.