PALAVRAS

0

Leia ouvindo: Nico & Vinz – In your Arms 

Quisera eu que o poder das palavras ditas ao vento fossem compreendidas. Eu fiz de versos, falas e escrita do meu sustento. Eu fiz do intelecto meu ganha pão. Eu fiz das palavras meu entendimento.

Assim, mesmo quando dito em brincadeira tento fazer uma análise morfológica de todo o conceito. Tento tirar destas palavras as diretrizes do meu caminho.

Quando um olhar cativa minha atenção, inteligência a minha admiração, e o toque a redenção, não vejo muros, muito menos circunstâncias de viver intensamente cada sentimento. Seja ele de alegria, tesão ou devoção.

Fotografia: Juliana Manzato

Faço meu carinho e desejo fazer parte da alma, da vida, do cenho. Quero me costurar ao corpo.

Viver sua vida, sorver o orvalho que resta de boas memorias, me ludibriar com histórias talvez somente minhas.

Quando palavras, frases inteiras são ditas, sinto seu contexto, palavras não ditas.

Com isso a chama se acende ou diminui. Assim como a vontade de rastejar por carinho, atenção e calma. A chama vai se apagando esperando por outra aparecer.

As tentativas de criar vínculos vão sobrecarregando o cerne e todos os planos de felicidade ficando mais distante. 

Luiza Pellicani

Luiza Pellicani

Jornalista que perdeu o filtro quando nasceu. Fala e faz o que dá na cabeça. É apaixonada por jornalismo, escrita, música, vida e por pessoas. Balada é comigo. Cinema é comigo. Netflix é comigo. Família é comigo. Nos amores, aproveite, as coisas podem mudar. E não esqueça, máxima do 8 ou 80 não funciona comigo.
Luiza Pellicani

Últimos posts por Luiza Pellicani (exibir todos)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.