Passos desalinhados

0

por Dani Santos

Acordei cedinho, coisa que não faço com muita frequência, naquele dia algo me chamava mais cedo da cama. Bastou o dia começar pra eu entender o por que. Coloquei uma música alta e ela me lembrou de você, falava de como as coisas/pessoas passam na nossa vida, como algumas nós optamos por deixar e outras a gente decide carregar. Simples. Ouvi a música mais uma vez e me lembrei de seus passos desalinhados, de como você sempre pisou em meus pés, mas eu? Eu ria, achava engraçado tantos erros, mesmo que às vezes doesse um pouco os meus dedinhos. Mas eu pensava: ‘Era você, você podia. ’

Imagem: reprodução

Você não sabia ao menos cantar a música, errava a letra o tempo todo, mesmo sendo esta a minha preferida, fez até questão de aprender, mas ela não fazia seu tipo de canção. Mais uma vez eu coloquei a música e me peguei cansada por carregar as mesmas lembranças, por achar que você acertaria os passos um dia, que seríamos admirados por tanta sintonia, mas a verdade é que nunca estivemos no mesmo tempo e lugar. Você querendo ver o mar e eu querendo apenas estar no mesmo lugar.
É, aqui, cá onde estou. Perdão se nunca parei, antes, pra pensar de como você gosta e precisa da liberdade do oceano, imenso. Desculpa se eu ignorei os sinais e me fiz de desentendida quando você decidiu partir, preferia sempre acreditar na volta.
Ilusão com gosto de chocolate, humm… era bom. Doce.

O erro estava em mim, em repetir a música, em insistir que você dançasse conforme a minha música e em esperar que você acertasse os passos. Não é sua culpa, amor. Troquei de música, quero construir novas lembranças, quero te deixar ir e não pensar na volta.
Já decidi.Troquei de par, encontrei alguém pra dançar, e ela? Ela está acertando os passos, me surpreendeu outro dia cantando aquela música que eu amo e me estendeu a mão me convidando para acompanhá-la.

Acordei cedinho, coisa que não faço com muita frequência, mas naquele dia algo me chamava mais cedo da cama. Bastou o dia começar pra eu entender o por que. Eu tinha que me despedir de você. Fechei meus olhos por alguns segundos esta manhã e te vi partir. Lindo, olhando para o mar, era tão real que até sentia a brisa do mar bagunçando meus cabelos. E sabe o que eu vi? Seu sorriso mais feliz. É sempre o que importa. Vai. Vai com Deus!

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.