#QUASE30 | QUEM TE FAZ RIR?

0

Leia ouvindo: Vanguard – Meu Sol 

Por algum tempo me preocupei em ter ao meu redor pessoas que me fizessem bem. Não importava muito o “bem”, sabe? Qualquer tipo de afeto era suficiente. Quando não sabemos o que de fato agrega ou atrapalha, tudo que vier analisamos como lucro.

Faltava tudo, principalmente senso para entender que o bem que muitos me faziam eram na verdade, doses de maldade camufladas. Sentia um certo desconforto e não sabia exatamente porque. A vontade daqueles que me cercavam eram as minhas e diante de tanta contradição, entrei em colapso. Quase ninguém que estava ao meu redor se preocupava com o meu verdadeiro bem estar, minha busca por equilíbrio e minhas reais necessidades. Em tempo, quase ninguém se preocupava, inclusive eu.

Foi ai que veio o click, será que era da minha vontade ser protagonista da minha própria história? Será que eu precisava viver a vontade dos outros ao invés das minhas próprias? Um balde de gelo tomou conta do meu corpo. Foi o meu ponto da virada.

Fotografia: Juliana Manzato

Foram anos recompondo o meu “eu” de verdade, me descobrindo e me conectando com as minhas possibilidades, independente da opinião dos outros. Inúmeras vezes me pego pensando no que os outros podem pensar ou falar ao meu respeito, será que a aprovação deles é tão importante assim? Não.

Quando eu deito a cabeça no travesseiro para dormir e repensar o dia, só eu sei tudo que vi, senti, ouvi e experimentei. Ninguém tem mais direito de aprovar ou reprovar algo do que eu mesma.

A partir do momento que você entende a real importância da vida para si, tudo muda, inclusive as pessoas que estão ao seu redor. Tem gente que você não vai deixar de conviver, mas vai aprender quem será para sempre, às vezes e por obrigação. Sim, tem gente que você vai conviver por obrigação!

Se você se considera uma pessoa de muitos amigos, se analisar bem, perceberá que esse número minguará. Isso não significa que deixará de ser querido por muitos, mas pouquíssimos serão aqueles que cuidaram do seu riso. E dai eu te pergunto:

– Quem te faz rir?

Quem se preocupa em tirar sua melhor gargalhada merece atenção. Nunca se esqueça disso!

Quem se preocupa de verdade vai querer te ver bem mesmo naqueles dias não tão bons. Não vai aceitar seu mal humor ou seu jeito ranzinza em determinadas situações. Quem se preocupa de verdade vai querer te apresentar um novo holofote para o mundo e vai agregar pequenos reparos na sua alma, por simplesmente te querer bem. De verdade.

Se essa analise ainda não bateu por ai, comece hoje. Não se assuste ao perceber o tanto de gente que gosta de rir de você e de seus problemas. São raros aqueles que depois de chorarem com você, vão rir, não de você, mas com você. Para extravasar e te reerguer. Para te fazer bem.

– Quem te faz rir? Analise. Valorize. Sorria de volta.

Juliana Manzato

Juliana Manzato

Apaixonada por amor, cachorros, textos e coisas inspiradoras.Adora fotografia, mar, sol, doce de padaria, verão e olhar o céu azul. Faz da vida poesia e textos. Muitos textos!Sonhos? Vive deles
Juliana Manzato

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.