#QUASE30 – (R)EVOLUÇÃO

0

Leia ouvindo: Angus & Julia Stone – Chateau 

Não sei se consigo resumir com maestria a contagem para os meus 30 anos. Meu maior apego até agora foi com a simplicidade. Nada que complique demais me atrai.

Errar rápido se tornou um mantra diário para me tornar uma pessoa melhor a cada dia nessa (r)evolução cotidiana. Me permito errar mais, porém, precisa ser percebido brevemente, assim evito os fatídicos murros em ponta de faca. Não acho que exista uma exigência ou chatice nessa idade, pelo contrário, existe praticidade. Aprendi com Yoga e meditação que a voz doce da intuição é facilmente confundida com a gritaria da mente. É preciso acalmar e respirar. O que fluir, aceitar. O que não fluir, deixar ir.

Errar rápido significa adquirir bom senso para tirar o ego de cena e dar o devido espaço para a razão na tomada de decisão. Nos perdemos nesse caminho porque o ego não permite que a melhor decisão aconteça. Ou perdemos tempo demais olhando para o próprio umbigo ou nos perdemos diante da falta de aceitação do outro.

Nos apegamos em aprovações cotidianas de gente que nem é tão importante assim. Aliás, são importantes para o nosso ego, não para a nossa verdade. O tal selo de qualidade é uma mentira inventada pelos outros. Ninguém é 100% aceito, viu?

Fotografia: Paulo Manzato Jr.

Você já deve ter vivido em algum momento aquela história: pediram sinceridade, eu entreguei. Fui recebida com pedras, me machuquei. Por que? Por que? Por que? Ninguém está preparado para a verdade, a mentira conforta e acomoda, afinal, é dito exatamente aquele que queremos ouvir.

Erramos no conforto da mentira e em não aceitar a dor da verdade. O nosso mecanismo de defesa é falho, criamos com maior facilidade o fundo do poço ao invés de trampolins para saltar mais alto. Análise.

(R)evoluções são assim, pequenas atitudes se transformando em hábitos. Atenção com os erros, um carinho nos acertos.

Você revoluciona e evolui por conta própria. Não espere aprovação de quem mal quer saber da sua história. As pessoas procuram por conto de fadas, mas esquecem da realidade num reino não tão distante assim.

Mentiras ditas repetidas vezes não se tornam verdades. Erros por sua vez, podem se tornar péssimos hábitos. Volto a dizer, erre rápido, crie bons hábitos. Inclusive o de se abraçar vez ou outra.

Juliana Manzato

Juliana Manzato

Apaixonada por amor, cachorros, textos e coisas inspiradoras.Adora fotografia, mar, sol, doce de padaria, verão e olhar o céu azul. Faz da vida poesia e textos. Muitos textos!Sonhos? Vive deles
Juliana Manzato

You might also like More from author

Leave A Reply

Your email address will not be published.