#QUASE30 | SOBRE SER QUEM SOMOS

0

Leia ouvindo: Frank Ocean – Forrest Gump 

Apesar de todas inseguranças e um certo desconforto chegamos ate aqui. Diante do “aqui” percebi o quanto eu lutei para “não ser quem sou”. Percebi o quanto outras pessoas quiseram me moldar e de certa forma conseguiram. Percebi também a quantidade de gritos que segurei na garganta. E o quanto amargo foi perceber que apesar de uma trajetória vitoriosa, o “aqui” se apresentou cheio de cicatrizes.

E quando a gente percebe a quantidade de cicatrizes que tem, percebe que muitas delas vieram através dos outros. Escolhemos estar na hora e lugar errado por causa dos outros, caímos, nos machucamos, mas desde sempre sabíamos que éramos os únicos responsáveis por nossas escolhas. E é estúpido chegar ate aqui achando tudo que aconteceu na sua vida foi culpa do outro e não sua.

Somos responsáveis pelo nosso hoje. Quando finalmente entendemos isso, nossas energias se renovam para um outro estágio. Se sou responsável pelo meu hoje, o que é que eu estava fazendo até agora? Onde estava a minha responsabilidade sobre mim?

Não existe nada melhor do que assumir de verdade quem somos, das nossas verdades à nossa realidade. Absolutamente tudo que você é até agora foi você quem construiu. É bonito olhar para nossa história assim, mas melhor ainda é assumir aquilo que você é.

E aquilo que você é envolve muitas coisas, das suas roupas à sua vivência. O seu estilo de vida e suas prioridades. A sua realidade determina quem você é, quer queira ou não.

Fotografia: Juliana Manzato

Os quase, ou até mesmo os 30, te trazem para essa realidade. Até agora você achava que não tinha controle nenhum da sua vida, quanto engano! Mas veja só, nunca é tarde.

Acorde. Desperte. Olhe para tudo aquilo que tem, da sua saúde aos bens materiais que conquistou. Vai ser um mix de felicidade e frustração, e tudo bem esse mix, faz parte do processo. Comece a analisar como chegou até aqui e desperte para a realidade. Existem pessoas que vão abrir um largo sorriso e outras vão cair no choro.

Todo mundo se perdeu um pouco de si até aqui. Mas ainda é cedo, ainda dá para se encontrar e mudar. Ainda é tempo de movimentar.

Nunca será tarde demais para sermos quem nós realmente somos. Depende mais de nós do que dos outros, que fique claro. Minha sugestão? Tome o controle da sua vida. Olhe para a sua realidade e sinta onde e como pode mudar.

Juliana Manzato

Juliana Manzato

Apaixonada por amor, cachorros, textos e coisas inspiradoras.Adora fotografia, mar, sol, doce de padaria, verão e olhar o céu azul. Faz da vida poesia e textos. Muitos textos!Sonhos? Vive deles
Juliana Manzato

Últimos posts por Juliana Manzato (exibir todos)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.