RESOLUÇÃO DA SEMANA | 5 ANOS ATRÁS

0

Leia ouvindo: Ford – Bedford falls 

30 anos, uma mudança drástica de carreira, 3 mudanças de endereço, alguns cortes diferentes de cabelo. 4 namoros finalizados com sucesso. Foda-se bem dados aliados com os muitos anos de terapia. Sapos engolidos. Caras errados. Aprendizados.

O facebook me lembrou publicações de 5 anos atrás, tomei um susto. Eu era tudo aquilo mesmo? Era sim. As publicações não mentem. Os textos escritos naquela época também. Um namoro terminado, traços definidos de uma maturidade que eu não sei de onde eu tirei.

Que orgulho daquela garota de 25 anos! Que orgulho saber que ela está bem aqui, nos trintas. Algumas coisas nunca vão mudar, outras a gente só acumula. E essas do acúmulo fazem parte do loop: acumula, desapega, continua. Repita.

Hei você, garota dos 25 anos!

Você mesma, da crise dos “daqui cinco anos tenho trinta, e ai?”. Será mesmo que eu vou morar sozinha? Namorar um cara 10 anos mais velho? Será que ele me ama mesmo? Por que com ela? Por que está acontecendo isso? E um intercâmbio? Cadê meu inglês fluente? Proposta de emprego em outro país, mãe! Perdi meu emprego, pai! Eu só queria voltar para os meus 15 anos. E aquela pós? E a nossa história? Ele não quer casar! Mais um término? O que está acontecendo com você? Um pedido de casamento. O amor da minha vida. Será que é mesmo? Como estaremos daqui 5 anos?! Não vou sair na sexta, tenho que entregar projeto. É segunda-feira, e a ressaca do domingo não passou. Cadê meus 18 anos? Talvez uma nova faculdade. Eu ainda não terminei a minha. Se não agora, quando? E as finanças? Mas todo mundo viaja, por que eu não posso? A conta não vai fechar. O dinheiro não vai dar. Um nova multa. Eu ainda não tenho meu carro. Eu ainda moro com os meus pais. Mas ela é tão independente, né?

Respira.

São questionamentos que não valem a sua paz. E todas as vezes que eles aparecerem você vai chorar. Parece que tá tudo errado, mas vai por mim, está tudo certo. Aos 30 é igual, a gente só aceita melhor que a vida adulta na maior parte do tempo é pagar boleto e se cobrar por coisas que não precisa.

Fotografia: Juliana Manzato

5 anos atrás eu tinha sonhos que demoraram 5 anos para se tornarem realidade. Percebi que tudo aquilo que escolhi nos anos até aqui era um preparo para riscar a lista de desejos. Nunca é fácil, mas é necessário.

Quando você olha para trás entende os por quês. Não desmerecendo a idade ou os questionamentos, mas nos 25 anos a gente acha que sabe todas as resposta mas não sabe é porra nenhuma.

Nos 25 a gente teima muito. Teima com os outros. Teima em relacionamentos ruins. Teima com pessoas que fazem mal. E tá tudo bem. Nos 26 você olha para suas mãos e percebe que murros em ponta de faca abrem cortes e deixam cicatrizes demais. Você não merece. Você não precisa.

5 anos atrás era 25. Era quase tudo igual, visto de uma realidade distorcida.Tá tudo bem.

5 anos pode não parecer muito, mas te garanto é um mundo.

Quem você esperava encontrar hoje, cinco anos depois? Quem você é hoje? Quem você quer ser daqui 5 anos? Pode ser só uma idade, mas também é maturidade.

5 anos atrás. 5 anos para frente. Presente.

Juliana Manzato

Juliana Manzato

Apaixonada por amor, cachorros, textos e coisas inspiradoras.Adora fotografia, mar, sol, doce de padaria, verão e olhar o céu azul. Faz da vida poesia e textos. Muitos textos!Sonhos? Vive deles
Juliana Manzato

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.