RESOLUÇÃO DA SEMANA | JÁ É DEZEMBRO

0

Leia ouvindo: Glass Animals – Season 2 Eposide 3

– Já é dezembro! 

foi esse o meu susto com a virada do mês. 

Foi um bom ano. O mais intenso de todos até aqui. De longe, posso afirmar que foi o que mais aprendi. Fui do céu ao inferno. Flores, amores, desgastes, reviravoltas, verdades, entrega, decepção, riso, choro, mergulho de felicidade, seca de tristeza. Foi o jeito que a vida arrumou de chacoalhar meu corpo e mostrar um novo eixo.

Dezembro. Como assim dezembro? D-E-Z-E-M-B-R-O!

O último mês desse dois mil e louco chegou e eu ainda estava organizando as pendências de outubro. Não fechei o financeiro de novembro. Não planejei com o devido cuidado meu réveillon. Aliás, não planejei quase nada. Ainda dá tempo?

Um susto. A sensação de ter ficado para trás. Será mesmo? As vezes me pergunto se o meu tempo precisa ser igual ao seu, com as mesmas prioridades. Sei lá, o que é prioridade para mim provavelmente não deve ser para você, vice e versa.

Fotografia: Juliana Manzato

Individualismo e ressignificado foram as duas palavras que determinaram meu dois mil e dezoito. Comecei o ano terminando uma relação, trintei no auge da cura, viajei muito mais do que o planejado, me surpreendi mais do que me decepcionei, mas em compensação, foi cada decepção, que olha…

Longe de ser uma reclamação, esse texto talvez seja o início da minha oração de gratidão e despedida para 2018. É importante iniciar ciclos, mas importante mesmo é encerrá-los. E isso não é para ser feito no místico 31 de dezembro. Ciclos começam e terminam num tempo muito diferente do nosso.

É meu primeiro dezembro desapegada da passagem de ano. Não deu tempo de apegar. Não deu tempo de agradecer. Mas deu tempo de entender que sorte é sempre a melhor das desculpas para as conquistas. Tudo de bom que aconteceu não foi sorte, foi você. Foi a decisão de estar no lugar que você está. Com quem você está. Do jeito que você está. Com as escolhas que fez. Como tinha que ser.

Não existe mandinga de ano novo maior do que a nossa boa – e infinita – vontade de fazer acontecer.

Oi, dezembro! Você vem sempre aqui?

Juliana Manzato

Juliana Manzato

Apaixonada por amor, cachorros, textos e coisas inspiradoras.Adora fotografia, mar, sol, doce de padaria, verão e olhar o céu azul. Faz da vida poesia e textos. Muitos textos!Sonhos? Vive deles
Juliana Manzato

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.