Sobre sabedoria

1
“Sabedoria não é saber para onde ir e sim para onde não se deve voltar.” Caio Augusto Leite

E daí eu pergunto, porque gostar tanto dos caminhos errados? Cacete! Quando a gente fala de “caminhos errados” muitos pensaram no amor, mas não é só nele que a gente erra. É na vida. E claro que não tem nenhum problema nisso. Vai lá e quebra a cara, uma, duas, no máximo três vezes, mais do quê isso é burrice. Isso mesmo, é burrice!

O tal do “caminho errado” é hábito, fuga, esconderijo da massa que não tem coragem de viver. Eu, você, ele… nós. Todo mundo vai pelo caminho errado e quer voltar.

O caminho errado pode ser sim um amor, daqueles que acabam com a vida, a auto estima, a conta bancária, a sintonia. Mais o problema não é um único amor ser assim, o problema é todos os seus amores (ou ex-amores) serem assim. O problema não é fazer um investimento financeiro errado, o problema é passar uma vida inteira “apertado”. Ir para um emprego não tão legal, mudar de vida por causa de um amor, ser mais emoção do que razão ou vice versa. O maior problema dos nossos erros são os nossos hábitos.

Hábito fica bem próximo ao vício, e é preciso cuidado. A gente tenta fugir de tudo, namorado ciumento, o beijo do “galinha’, da tequila, do saldo que já está vermelho, daquele chato (a), mas vocês sabem o que acontece, quanto mais a gente foge mais tudo isso ai acontece. Os nossos maiores medos e fantasmas nos perseguem. E isso acontece porque o hábito anda de mão dada com a comodidade. Mudar é difícil, voltar para o mesmo lugar é muito mais fácil. É mais fácil lidar com um namorado ciumento, por exemplo, do quê aquele cara que tem um ciúmes “normal”. Mas eu ainda acho que não tentar seja pior.

Veja bem, o hábito de se alimentar bem, fazer exercícios físicos, rir, abraçar um amigo, amar alguém, beber uma cervejinha no final de semana, comprar uma roupa bonita, desligar a vida online, ouvir um samba, escolher dormir durante um dia inteiro, encher o coração de alegria e viver é saudável, faz bem, deixa o coração leve. Se você reclama demais de algo, preste atenção, mude, vá em frente. Não tenha medo de mudar o caminho para o trabalho, de pintar as unhas de preto, usar saia longa ou de amar uma pessoa.

“Força do hábito” que nada, faça e acredite nas suas escolhas. Mudar é sempre bom, viu?

{ Imagem: reprodução } 

1 comentário

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.