Aprendiz de Dona Canô

Leia ouvindo: Maria Bethânia – Reconvexo

“Ninguém pode viver sem amor, sem festa e sem devoção”, dizia Dona Canô, mãe de Bethânia e Caetano, com os seus cento e poucos anos de pura sabedoria. Palavras vindas de uma mulher de fé, firmadas na certeza de quem passou por muito nessa vida.

Desde que ouvi pela primeira vez a frase, me apaixonei. É com absoluta certeza as três verdades que devemos levar nessa vida!

5032bc670633e19bc7cc833a4dff16c0

[ Imagem: Reprodução / Pinterest ]

Ninguém pode e nem deve viver sem amor. É o amor que faz a gente se sentir mais vivo, mais humano, mais próximo, mais tudo! Amor em todas as suas formas e maneiras.

Já imaginou a vida sem festa? Nunca. Festa alegra o coração, proporciona momentos incríveis de lembranças únicas. Festejar inclusive todos os dias o fato de estar vivo.

Devoção. O que seria da vida sem acreditar que existe uma energia maior que move tudo por aqui? Não importa no que você acredite, acreditar já é uma grande coisa. Ter fé, elevar o pensamento, pensar positivo, acreditar e principalmente, entregar nossos sonhos e vontades para essa energia.

Acredite nos sinais que a vida te mostra, cative os seus desejos de todo o coração, faça tudo que puder para que esses desejos se tornem reais, seja leal com os seus valores, escolha bem os seus amigos, seja transparente com as pessoas, olhe nos olhos, abra portas e janelas, não faça nada esperando algo em troca. O universo é tão justo que te devolve de maneira abençoada e inesperada tudo aquilo que você ama, festeja e se torna devoto.

Sabedoria de Dona Canô. Amor de Dona Canô. Festa de Dona Canô. Devoção de Dona Canô.

Juliana Manzato
Últimos posts por Juliana Manzato (exibir todos)

Juliana Manzato

Apaixonada por amor, cachorros, textos e coisas inspiradoras. Adora fotografia, mar, sol, doce de padaria, verão e olhar o céu azul. Esportista. Feminista. 80 porcentista. Irônica eu? Imagina.

Um comentário em “Aprendiz de Dona Canô

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar ao topo