A distância que protege

Somos mais fortes longe um dos outros. Longe, mas pensem em bem longe, tipo deserto sem fim, mar sem a visão para o continente. O longe é uma distância segura e bem acomodada do ser humano.

Longe somos melhores!

Precisamos fugir para um intercâmbio para dar valor ao colo da mãe ou abraço do pai. É longe que a saudade bate, o coração aperta e as lágrimas teimam em escorrer. É longe, mas bem longe que a gente dá valor à quem já se foi e para quem ainda vai vir. Longe somos fortes! Tá aí uma mentira que alguém contou. Fortes não. Babacas emocionais!

Precisamos do sofrimento para valorizar, da distância para proteger. É fácil dizer eu te amo por whatsapp ou telefone, quero ver é olhar no olho, tocar a alma. Não queremos ser só mais uma janela no whatsapp dele. Se me ama, me fala, porra! O muro para os indecisos sempre foi um lugar seguro. A distancia para os mais fracos, também.

Acho que realmente deve ser difícil querer ser presente, mas na real ser ausente. Querer estar perto, mas o máximo que conseguir é enviar uma mensagem. A distancia pode até te proteger… mas pensando bem, você quer se proteger do quê mesmo? De um olhar? De um “não”? De um fora? Um beijo roubado? Um abraço apertado? Um “tô com saudade”? Do amor da sua vida?

Sinceramente, somos babacas emocionais! Quer distância? Se isola numa ilha, suma do mapa, mas não me venha fugir de responder um “Vamos sair? Tô com saudade!”. Arregamos no melhor sentido! Deixamos de viver para manter uma distancia segura do outro. Só deixa eu te contar uma coisa, você ainda vai se ferrar muito, vai cair tombos, criar expectativas e se frustrar e o que é pior, a distância não vai te proteger é de nada. A pancada vem, a felicidade também.

3000
{ Imagem reprodução }

No fundo, fugir para a colina mais próxima sempre parece a opção mais segura, mas não necessariamente a melhor. Você não precisa de proteção, você precisa é viver.

Menos conversas no Whatsapp e mais conversas ao vivo. Ao pé do ouvido, diria.

Menos críticas “anônimas” e mais críticas construtívas. Para a vida.

Menos azedume/recalque/chatice nos comentários do Instagram e mais emoji’s de coração. Para ser leve.

Menos lerô-lerô e mais atitude. Porque é necessário.

E por fim, menos km de distância e mais abraços apertados.

Vamos viver minha gente? Vamos viver!

Assinatura Ju - 2013

Juliana Manzato
Últimos posts por Juliana Manzato (exibir todos)

Juliana Manzato

Apaixonada por amor, cachorros, textos e coisas inspiradoras. Adora fotografia, mar, sol, doce de padaria, verão e olhar o céu azul. Esportista. Feminista. 80 porcentista. Irônica eu? Imagina.

2 comentários em “A distância que protege

  1. Direto e reto Jujuba, mas essa é a nossa geração, poucos tem a coragem de dizer o que sentem pessoalmente, e quando o fazem, muitas vezes não ouvem o que querem e acabam se enfiando na sua concha de segurança, e ai, bom, ai é que seu texto se encaixa!

    😀

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar ao topo