A vida é rosa

Leia ouvindo: Brian Reitzell, Dave Palmer & Roger Neill – Veronica’s Blues

Era setembro de 2009 quando em uma reunião de família minha mãe anunciou um tumor na mama direita. Era um grão de arroz ali dentro do peito que podia crescer e tomar outras proporções.

Minha mãe é uma mulher forte, positiva, minha Polianna da vida real e meu maior exemplo. Ela ia ter que fazer a cirurgia para retirada do tumor em área de risco. A cirurgia era relativamente simples. O problema era o pós-cirúrgico.  Ninguém sabia ao certo como seria. Radioterapia? Quimio? Quantos dias de hospital? Quais remédios? Como era o tratamento? E o sofrimento?

2009 estava sendo um ano incrivelmente ruim, ela não precisava ter entrado nesse combo trágico – pensava eu, em voz única, dentro da minha cabeça. Eu precisava ser a paz e o apoio dela naquele momento. E eu tentei, como tentei. Deixei minhas dores de lado e sofri com ela. Já tinha colocado na minha cabeça que se ela perdesse o cabelo, eu perderia os meus por ela. Como apoio e por amor.

la-11

[ Imagem reprodução ] 

Na verdade o sofrimento praticamente não existiu, ela foi curada na cirurgia e precisava continuar o tratamento na Radioterapia e com os remédios. 2009 foi um ano de cura. Uma boa notícia em meio a tantas outras ruins.

A vida depois do câncer dela ficou mais cor de rosa. Minha mãe sobreviveu, outras mulheres nem sempre têm a mesma sorte. O autoexame ajuda, os periódicos também. A gente fala tanto de amor, de histórias de amor, de amor próprio, mas esquece que de que se amar e se cuidar um pouco mais é muito mais importante do que tudo isso.

Cuidar do peito é coisa séria! Minha mãe cuidou do dela e me ensinou a cuidar do meu. O autoexame, aquela olhada no espelho de vez em quando, a ida ao médico, a ecografia, mamografia e todos os outros cuidados fazem com que o peito fique saudável e repleto. Os outros cuidados a que me refiro é o que você está pensando. Aliviar tensões, fazer exercícios, alimentar-se de maneira saudável, sofrer menos, descarregar aquela bagagem pesada que levamos nas costas. Isso não é prescrição médica, mas é divina. Peito repleto de amor e cuidados.

Eu apoio o outubro rosa, o blog também. Apoie você também. Cuide-se, ame-se, faça o autoexame periodicamente.

A vida é rosa, com peito repleto ela fica melhor ainda.

Saúde. Sempre!

Assinatura_Juju

Juliana Manzato
Últimos posts por Juliana Manzato (exibir todos)

Juliana Manzato

Apaixonada por amor, cachorros, textos e coisas inspiradoras. Adora fotografia, mar, sol, doce de padaria, verão e olhar o céu azul. Esportista. Feminista. 80 porcentista. Irônica eu? Imagina.

Um comentário em “A vida é rosa

  1. Olá juliana!!
    Sempre gostei muito dos teus textos, muitos deles sempre me identifico.
    Mas nesse me identifiquei demais!!!
    Passei pela mesma situação em 2002/2003, puxa que ano e que barra!
    Minha mãe teve câncer de mama na mesma mama e do mesmíssimo tamanho, maldito grão de arroz! :/
    Até me emocionei lendo seu texto, vc descreveu todos os meus sentimentos!
    Hoje depois de 12 anos minha mãe está linda e a vida voltou a ser rosa tb!!!
    Esse alerta é muito importante, nós como filhas sabemos bem disso né??
    Parabéns pelo blog!!!
    Bjos pra você e pra sua mãe! 😉

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar ao topo