AO AMOR-PRÓPRIO, COM CARINHO

Ninguém é o que foi há um ano atrás.

0

Leia ouvindo: John Legend – Bigger Love 

Um dia, lá atrás, me disseram que você vagava por aí, e que talvez eu não tivesse te encontrado. No primeiro momento duvidei, como boa escorpiana de personalidade forte. No segundo, mesmo sem dar o braço a torcer, passei a refletir sobre aquilo tudo. No terceiro, percebi que quanto mais o procurava, mais me afastava, e foi aí que caí, de paraquedas, na frase certa: a busca é para dentro!

Fotografia: via @outsideboxx

Sabe, Senhor Amor-próprio, não foi tão fácil assim te encontrar. Às vezes acho que me perdi na altura, às vezes acho que nos quilinhos extras que sempre acompanharam meu corpo, e às vezes chego a pensar que você estava lá o tempo todo sim, mas sei lá, parece que eu não via. É como se estivesse tudo encaixadinho, menos o meu olhar. A busca por algo que eu não sabia a forma, a textura, e só de imaginar me alçava cada vez mais distante. Cada vez mais no campo das ideias, nunca da ação.

E não é que foi nessa palavrinha que te resgatei? No café da manhã arrumado para eu tomar. Na cama devidamente encantada para que eu, somente eu, pudesse deitar. No banho demorado para me alimentar. No batom vermelho para me animar. Na coragem de agir, diariamente, para me amar.

Se a Manu de hoje convidasse a Manu de um ano atrás para contar sua história, Senhor Amor-próprio, certamente elas teriam coisas a inspirar uma à outra.

Ninguém é o que foi há um ano atrás.

A gente segue vivendo e aprendendo. Evoluindo. Crescendo. Amadurecendo mas também se permitindo perder o juízo sempre que quiser…

Mas a Manu de hoje fez um pacto com todas as suas versões: todos os dias, eu disse todos os dias, ela se olha no espelho e se apresenta à pessoa que pode realmente transformar a sua vida: ELA MESMA!!!

Manu Berbert
Últimos posts por Manu Berbert (exibir todos)

You might also like More from author

Leave A Reply

Your email address will not be published.