Carta aberta ao amor que vai chegar!

Leia ouvindo: Tulipa Ruiz e Marcelo Jeneci – Dia a dia, lado a lado

Oi, amor. Como vai?

Começo lhe dizendo que a sua chegada foi mesmo muito esperada. Fique a vontade, a casa é toda sua, pode tirar os sapatos. É certo que haverá um tempo, não sei se breve ou demorado, para que as nossas histórias se complementem, transformando em pequenos prazeres as nossas manias tão diferentes. Depois de tudo o que passei, confesso que não vou me importar caso você insista em deixar a toalha molhada sobre a cama. Só peço que cuide para não alagar o meu coração de mágoas, ele acabou de passar por um longo processo de drenagem e merece a estiagem dos seus braços.

No mais, não insisto que vá muito além de você mesmo e de seus medos e desejos para me agradar. O peso da vida e das partidas que presenciei me fizeram valorizar ainda mais a leveza que guarda um relacionamento maduro. Você é o meu amor, mas não é minha propriedade. Jamais cortarei as suas asas! Por favor, não mexa nas minhas também! Aliás, eu demorei muito tempo pra aprender a voar. O medo do desconhecido me assolava e meu pobre coração sempre optava pelo congelante cotidiano. Foi uma batalha árdua! Vencemos! Que bom você chegou…

Sabe, meu amor…eu consigo enxergar os nossos domingos ensolarados, de pernas, braços, corpos e almas entrelaçados no sofá, provando o delicioso sabor da paz, rezando para que o tempo dê trégua e caminhe lentamente entre os minutos seus para mim, meus para você! Sem pressa, por favor. Amanhã eu adoço o amargor da sua segunda, com beijos sabor café e paixão.

f0d1837f0a574d8ec141ff6aa6d1b27f

[ Imagem: reprodução ] 

Respeite os meus silêncios, eles gritam muitas coisas que só eu posso ouvir. Se eu não conseguir compreender os seus motivos, diga apenas que faz por amor e qualquer explicação será desnecessária. Se eu não olhar nos seus olhos, invada a minha alma pelo atalho que começa pertinho do meu pescoço, subindo rente à minha boca, caminhando lentamente até que, de tão perto, quase do lado de dentro, a nossa matemática nos transformará em um só, e os meus olhos serão o seu olhar.

Encante os meus dias com a sua força, enobreça o meu sentimento com as suas batalhas, me faça te admirar por ser, muito além do que um bom partido, um homem bom! Eu não quero saber o que você faz pra viver, tampouco se o seu salário me comprará roupas e colares. Eu só preciso que os seus bolsos estejam cheios de honestidade e que o garçom que servir os nossos jantares receba de ti, o mesmo respeito que os seus familiares.

Antes de lhe dizer um ‘até breve’, quero que saiba que a vida nos foi mesmo muito grata. Talvez o nosso encontro leve anos para se concretizar, e eu trombe em você sem qualquer glamour, no final do expediente, ou na fila do pão numa manhã chuvosa de Outono. Não me importa! Os nossos beijos farão das histórias de amor dos cinemas, meros comerciais de televisão. Os nossos sonhos emocionarão a qualquer ouvinte, a nossa história – essa mesma que começaremos tão breve quanto pudermos – será contada e recontada nas mesas de almoço da nossa pequena grande família, de modo à energizar os corações de nosso povo com a esperança que só é capaz de florescer no âmago do verdadeiro amor!

Te espero!

Assinado: a mulher da sua vida!

Mayra_2015

Últimos posts por admin (exibir todos)

admin

2 comentários em “Carta aberta ao amor que vai chegar!

  1. Ave que coisa linda !
    Meus olhos estão como aquele emoticon, cheio de coração ! De transbordar de felicidade ler algo assim ! Parabéns !

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar ao topo