Carta para Papai Noel

Leia ouvindo: Margo May – Love Somebody

Oi, querido Papai Noel.
Tudo bem?

Deve estar achando estranho receber uma carta minha, afinal, deve fazer mais de vinte anos desde a última que te escrevi. É que por muito tempo permaneci naquela besteira adulta de acreditar que você não existia, mas aqui do alto dos meus quase 30 resolvi voltar às doces crenças juvenis e conversar com você.

Sabe, Noel, o senhor foi muito bom comigo nesse ano que passou. Deixou debaixo da minha árvore aquele embrulho grandão com o conteúdo “vida para ser aproveitada” e vários outros embrulhinhos para enfeitar o presente protagonista. Posso me alongar um pouco sobre eles? É que queria te contar como esses seus presentes foram bons!

Vou começar pelo embrulhinho do trabalho. Quando abri, confesso que dei uma estranhada. Aquele tipo de presente que você fica em dúvida se é sério ou piada. Tinha um monte de obstáculos aparentes, uma pitadinha de canseira e estresse, mas olha… Que boa surpresa! Logo descobri a dádiva que havia me dado e como eu era sortuda de ter aquilo ali pra mim. Mas Noel, preciso ser honesta com você: tem dias que me pergunto se há notinha fiscal para devolução… Eu juro que passa! Depois de todas as tempestades, meu ofício deixa de representar um embrulhinho e se transforma num presentão.

Letter

[ Imagem: reprodução ] 

O embrulhinho do trabalho veio com um pacotinho pendurado, chamado “viagem”. No cartão que o acompanhava, você me dizia que eu só poderia desfrutar de um se aproveitasse direitinho o outro. Tarefa cumprida, e em busca de merecidos dias de descanso e aventura, embarquei em um avião rumo a mais um desconhecido. Caramba, Papai Noel, que lugar incrível conheci! Tinha praias, muros, fortes, fez frio e fez calor, conheci americano, francês, holandês e finlandês… Teve história, teve muita diversão! De algum lugar por aí você deve ter visto que fui tomada por uma onda incrível de felicidade e satisfação. Valeu, Papai Noel! Acertou em cheio no presente!

Mas o que mais me surpreendeu dos pacotinhos debaixo da árvore foi o embrulhinho com a etiqueta “pessoas especiais”. Como pode caber tanta coisa boa naquele pacotinho? Poxa vida, dali de dentro saiu muita coisa essencial! Gente que me abraçou, gente que me beijou, gente que me deu esporro e que me virou a cara porque eu precisava passar por aquilo… Mas, acima de tudo, uma galera linda que me amou, e me ensinou dia após dia que é preciso saber viver e já veio com o manual de modus operandi. Sabe que me dá um frio na barriga pensar em cada uma delas?

Nossa, Papai Noel, se continuar falando de cada presentinho que me deu vou ficar escrevendo até o próximo Natal! Mas… Você já deve estar desconfiado de que eu não terminaria essa carta sem ao menos te pedir alguma coisa, né? É, você está certo. Noel, estou esperando que nesse Natal você me traga os seguintes presentes: amor, muito muito amor, para viver os dias com a plenitude de um sentimento bom. Pode ser de qualquer forma, em qualquer tamanho, peço somente que me conceda essa dádiva. Quero saúde também. Mas não peço só pra mim: peço saúde pra minha família, pros meus amigos, pros meus bichinhos de estimação! Quero sabedoria e paciência, juntinhos no mesmo embrulho, para guiar meus passos e me levar para as decisões certas. E peço que repita o presente principal, aquele embrulhão cheio de vida dentro, porque dos presentes que você não puder me conceder, eu gostaria de tentar aprender nela.

O sapatinho já está embaixo da árvore e os seus biscoitinhos quentinhos do lado. Espero que faça boas viagens em seu trenó e que tenha os melhores presentes dentro do saco. Não só para mim, mas para o mundo.

Obrigada pelo ano que passou!

Um beijo,
Bianca.

2015_Bia

Bianca Carvalho
Últimos posts por Bianca Carvalho (exibir todos)

Bianca Carvalho

Uma carioca branquela, bagunceira e desbocada. Uma mulher questionadora, inquieta e expansiva. Uma amante do mundo, dos cachorros e de pessoas apaixonadas pela vida.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar ao topo