Ciúmes de você!

0

Para muitos ele é a pimenta dos relacionamentos, para outros cai como possessividade. O que realmente o ciúme é para um relacionamento?
Essa semana, entre tantas e tantas frases que encontro por esse mundão virtual, descobri mais uma, “Ciumes? Pra que? O que mantém o boi no pasto é o capim… e não a cerca!”. Jota Quest não é o melhor exemplo, mas naquela música “Mais uma vez”, existe um dos ensinamentos mais geniais para relacionamento, “A nossa liberdade é o que nos prende”.
Seja o capim ou a liberdade, ciumes é uma das coisas que fazem parte do relacionamento. Convenhamos que em épocas de twitter, facebook, entre outros, ficou mais difícil ainda controlar esse bichinho que nasce do amor e pode tomar proporções avassaladoras.

Tudo é motivo de ciúmes, de piscadinhas 😉  a cutucadas, tudo incomoda, cria feridas, brigas, desentendimentos entre os casais. Até porque, é nas redes sociais que a maioria de expõe. São fotos, declarações, brigas, CIÚME, reconciliação, tudo acontece por ali. Na vida offline, o ciúme também está presente, claro. A esposa/namorada/ficante tem ciúmes das amigas, dos amigos, da mãe, das colegas de escritório e se deixar até do cachorro do moço. Com os homems, claro que não é diferente! 

Otelo, de Shakespeare definiu o ciúme como “um monstro de olhos verdes”, já Aurélio (o dicionário), ciúme é o sentimento doloroso causado pela suspeita de infidelidade da pessoa amada, um zelo ou ainda, a angústia provocada por sentimento exacerbado de posse.

Ciúmes e possessividade andam juntos. Já perceberam como tratamos pessoas como propriedade? “MINHA esposa”, “MEU namorado”, “MINHA mulher”. É beirando a propriedade que as pesoas colocam cercas nos relacionamentos, tudo o que você pode ou não pode fazer, a roupa que pode ou não pode usar, os amigos que você pode e não pode ter e quando caímos na realidade estamos caindo nas graças das regras, da chatice e das proibições.
Quando alguma coisa sai fora da linha, quem aparece como um bichinho pra corroer tudo? Ciúmes! Aquela sensação de insegurança, de perda, de uso intenso de imaginação, de raiva, de choro, de briga, aquele momento de bomba!
Com o histórico de Otelo, Aurélio e tantos outros, caímos na questão: a liberdade prende? Cuidar do “capim” resolve? CIÚMES resolve?
O ciúme é inevitável, mas o relacionamento é uma escolha. Ninguém mais fica com ninguém por obrigação. Se tem sentimento, existe renúncia, existe ciúme, mas jamais pode deixar de existir liberdade. Liberdade como ser humano de decidir, de poder assumir que tem um gênio difícil, de que quarta-feira tem futebol no bar com os amigos, que existem outras mulheres e homens, porém, que existem motivos suficientes para você continuar com a sua escolha.
A escolha é ter um relacionamento, o motivo é ficar, o amor vai acontecer, e o monstro de olhos verdes vai aparecer. Não crie muros, cercas, regras, proibições, crie opções.


Últimos posts por admin (exibir todos)

You might also like More from author

Leave A Reply

Your email address will not be published.