Com o perdão da expressão, mas foda-se.

Querem que a gente encha o mundo só de palavras boas, e eu até concordo com esse sentimento, mas hoje, tudo o que você vai receber de mim é um belo e grandíssimo FODA-SE.

Passo dias e meses e anos e décadas da minha vida me preocupando mais com os outros do que comigo mesma, e o stress é o resultado mais visível de toda essa minha devoção.

Claro que eu me importo com muita gente que vale a pena. Afinal, não fosse a minha dedicação e interesse eu nem teria amigos. Mas me parece que “estar disponível o tempo todo” virou um erro gravíssimo. Para ganharmos o respeito das pessoas, temos que praticar o contrário. Por que? Acho de uma pobreza extrema que tenhamos que fazer tantos joguinhos para que demonstremos o nosso real valor.

Eu sei que, talvez, isso seja uma coisa do ser humano, não se trata de algo datado. Talvez eu tenha que realmente me conformar com essa eterna partida na qual estou inserida e aprenda que, não me importando, alguns voltam a se importar comigo. E eu continuo achando essa ideia de uma banalidade intensa. Mas se é assim que tem que ser, bom… É assim que eu vou TENTAR ser.

Pode ser que eu fracasse. Mas desse fracasso eu não me envergonharia. Qual é o grande pecado capital que eu estou cometendo ao ser humana demais? Por que estou tão errada em estar ali o tempo todo para todo mundo? Em ser uma pessoa com a qual qualquer um pode contar? Aparentemente isso faz de mim um capacho humano, onde todo mundo pode pisar. E sinceramente? Quer sapatear, vai pra academia de dança. Pisadas na minha cabeça já me cansaram.

Eu não estou convocando uma rebelião. Eu sequer estou falando para as pessoas pensarem da mesma forma que eu. Mas hoje, só por hoje mesmo, eu quero o gostinho de não me importar. E FODA-SE.

Últimos posts por admin (exibir todos)

admin

2 comentários em “Com o perdão da expressão, mas foda-se.

  1. Pq se eu resolvesse escrever sobre meu dia de hoje, escreveria exatamente assim. Tentando aprender a ser um pouco egoísta, esse altruísmo todo está me deixando exausta.

  2. Você não está sozinha nessa rs.
    Eu passo por isso desde sempre…
    A angústia e esse stress que você fala, também fazem parte da minha vida!

    Me irrita muito ter que tomar atitudes que não são minhas, para que os outros se importem com alguma coisa.

    Hoje tento me importar menos e viver mais pra mim. Foda-se o resto rs!

    É díficil (para pessoas que como nós se importam e se preocupam demais) mas é assim que tem que ser!

    Um beijão

    Tatá

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar ao topo