Com teto

Para estar abrigado, você precisa de um teto. E um teto não existe sem uma sustentação, sem pilares. Para se sentir abrigado, você também precisa de abraço. Abraço de coração pra coração, na verdade, é a ponta da história.

Tudo começa com os primeiros tijolos que são colocados, um de cada vez, no seu tempo. Mas tão importante quanto a exatidão ao encaixar os blocos, é o que os mantém unidos. Amor é sempre a melhor cola.

Foto: reprodução.
Foto: reprodução.

Às vezes, é melhor retirar um pedaço que foi posto de qualquer jeito. Não adianta relutar, é mais fácil rearranjar as posições, realocar os tijolos, do que depois ter que juntar os cacos se tudo vier a desabar.

Com tudo firme, depois de um (longo) tempo, você vai olhar pra baixo e ver o quão alto você chegou. Lá de cima, estará de mãos dadas com que te ajudou, diariamente, a erguer tudo aquilo. Não importa o quanto chutem, porque a base é tão forte que não estremecerá o resto da estrutura.

Sim, demora. E sim, cansa. Tem horas que parece mais fácil largar pela metade, dar meia volta e bater as mãos para tirar o pó, em uma tentativa de deixar pra trás qualquer resquício e fazer aquilo virar somente uma carcaça. É, tem momentos que é a melhor coisa a se fazer… Mas chega uma hora que você saberá que cada tijolo carregado valerá  a pena, e que os calos servirão para se lembrar de cada lição que aprendeu.

E quando você estiver lá em cima, se surpreenderá com uma vista deslumbrante. É a recompensa para quem persiste e é paciente em fazer um trabalho de formiguinha. Quando olhar para o lado, vai enxergar a única pessoa que poderia ter chegado lá com você, e vai ter a certeza de que é o único teto em que você pode se sentir abrigada com um simples abraço, porque pra baixo tem o mundo que vocês construíram juntos.

Nat - Dona Oncinha

Últimos posts por admin (exibir todos)

admin

Um comentário em “Com teto

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar ao topo