Coração em desalinho

Leia ouvindo: Queen – Somebody to love

Numa dessas esquinas da vida perdi o freio. Meu coração, que estava pesado, não suportou a curva. Capotou. Fez que ia morrer, mas aguentou o impacto. Hoje, encontra-se apenas em desalinho.

Tem dificuldade de lembrar ao certo como as coisas aconteceram antes e durante aquele fatídico acidente. Por que pesava? Por que chorava? Estava frio, desatento em desalento. Vagava sem vontade ou rumo. Mal pulsava.

O mesmo coração que um dia palpitou, suspirou e sentiu. Ele mesmo, que sambou quando te viu chegar e parou quando te viu partir. O pobre coraçãozinho, que mesmo com seus tantos buraquinhos, preenchia cada espaço vazio com a imensidão de sentimentos puros e crentes. Hoje, esqueceu como amar.

{ Imagem: reprodução }
{ Imagem: reprodução }

Tá estranho, com pensamentos doidos e aleatórios. Esqueceu nomes, faces, endereços. Mal se lembra como bater, perdeu a memória afetiva. Não tem jeito, doutor, vamos ter que internar.

Na unidade de terapia intensiva, vai passar por sessões especiais de cinema para assistir a todos os momentos que o fizeram alegrar-se e bater mais forte. Vai passar por sessões de estímulo sensorial com os carinhos que outrora recebera. Vai ser mantido em isolamento, longe de outros corações desalinhados, cheios de ideias erradas e mal humoradas. Só vai ter alta quando voltar a sorrir.

Coração, não te culpes. Quem perdeu o freio fui eu. Só te peço que volte a acreditar em tudo aquilo que hoje parece ilusão.

Erga-te forte, coração. Sua dona aqui ainda vai se soltar livre nas diversas ladeiras dessa vida, e você, de tanto se refazer, um dia aprende a simplesmente se equilibrar.

Assinatura_Bia

Bianca Carvalho
Últimos posts por Bianca Carvalho (exibir todos)

Bianca Carvalho

Uma carioca branquela, bagunceira e desbocada. Uma mulher questionadora, inquieta e expansiva. Uma amante do mundo, dos cachorros e de pessoas apaixonadas pela vida.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar ao topo