Deixe-me aqui

Leia ouvindo: The National – About Today

Deixe-me aqui com meus problemas. Com a minha saudade diária, com a minha mania esquisita de olhar todas as suas redes sociais, com aquela sensação de que os meus sentimentos não chegaram ao fim quando a nossa história se foi. Deixe-me aqui comigo mesma, sabe? Bata a porta da nossa história na minha cara, mas não me peça para não sentir.

Deixe-me aqui com minhas dúvidas. Com meus argumentos descompensados, com sua voz ainda ecoando nos meus ouvidos, com o celular nas mãos aguardando as suas mensagens me desejando bom dia. Deixe-me aqui remoendo minhas falhas, e eu imploro, não me peça para não sentir.

8102

[ Imagem: reprodução ] 

Deixe-me aqui, diariamente, amargando o sabor da desilusão. Refletindo palavras, repensando atitudes, e aquele “você faz bem pra minha vida” que tanto merecia escutar, mas que eu hesitei em dizer. Deixe-me aqui, agora, flertando com a saudade, e surtando com a tua sensata maldade.

Deixe-me aqui, meu bem. Deixe-me aqui contabilizando os dias que te tive em meus braços, revivendo apenas nos sonhos o calor dos seus abraços, disfarçando enlouquecidamente o meu cansaço. Deixe-me aqui, mas não se esqueça do que também não tive a coragem de te revelar: volte, e me ensine a amar!

Manu Berbert

Manu Berbert
Últimos posts por Manu Berbert (exibir todos)

Manu Berbert

Baiana. Tom de voz alto, personalidade forte e palavras firmes. Observadora do mundo, das pessoas e dos seus comportamentos. Os olhos apontados para tudo, mas o dedo geralmente apontado para si mesmo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar ao topo