Desejo de amar

Leia ouvindo: The Young Romans – Probably True

Acordei mais cedo hoje. Nem sei se dormi, na verdade. Lembro vagamente do meu corpo rodando a cama, impaciente, enquanto o meu pensamento vagava por aí. É o preço que a gente paga por levar os problemas para o travesseiro, emaranhados de dúvidas e questionamentos. O preço do medo de que as coisas não caminhem como a gente deseja. O preço da vida em si, que escorre pelos nossos dedos diariamente, como uma enxurrada que a gente sabe que não tem caminho de volta.

Olhei-me no espelho, pacientemente. Quem eu fui até aqui? Quem sou eu agora? Não reconheço mais os meus planos e os meus inúmeros projetos. Não tenho mais alguns sentimentos por tantas pessoas de outros tempos. Eu mudei, o meu mundo mudou, e é como se eu estivesse me buscando nele novamente. Renascendo, para ser mais exata. Tendo a oportunidade de me reconstruir, quietinha no meu canto, vasculhando serenidade para entender tudo que vem acontecendo, ou que me aconteceu.

8261

[ Imagem: reprodução ] 

Talvez por muitos anos tenha vivido buscando o futuro. Algo inconsistente, impalpável, meio que a longo prazo. Enganando-me diariamente. A alguns dei o nome de paixão mal resolvida. A outros, querência mal resolvida. Aos demais, apenas passado. Eram histórias engraçadas que vez ou outra até machucavam, e que preenchiam o meu tempo com sabor de liberdade. Tapavam o meu vício de superficialidade nas relações e, confesso, faziam delas algo mais fácil de lidar.

Mas a vida é algo que nos pede verdade e em seguida nos cobra coragem para vivê-la. E uma hora ou outra ela bate na sua porta e entrega alguém que te desmonta inteira, só para ver do que você é capaz. Ela chega de mansinho e sussurra no seu ouvido que sucumbir-se a um amor é humano, apenas para testar os seus próprios limites. A vida é aquilo que uma hora ou outra te coloca frente a frente com alguém que preenche todo um espaço que antes era só seu, como se quisesse testar a sua habilidade em recusar. Mas a essa altura, é meio impossível recuar. De frente para o espelho você tem a real noção de que não sabe de nada do que vem pela frente, mas só tem um desejo: o de saber amar!

Manu_2015

Manu Berbert
Últimos posts por Manu Berbert (exibir todos)

Manu Berbert

Baiana. Tom de voz alto, personalidade forte e palavras firmes. Observadora do mundo, das pessoas e dos seus comportamentos. Os olhos apontados para tudo, mas o dedo geralmente apontado para si mesmo.

Um comentário em “Desejo de amar

  1. Manu, é lindo!!!!!!!!
    Me encantei pelo seu texto, incrivel a forma que você compreende o que a gente pensa, o que a gente passa no dia-a-dia.
    Parabéns!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar ao topo