ELA E A INTERNET DELA

Leia ouvindo: MGMT – Electric Feel 

Vivemos uma era digital. O dinheiro que recebemos vemos apenas em números e na grande parcela do tempo, por meio de aplicativos na nuvem.

Os nossos casos amorosos são destrinchados nas redes sociais, nosso trabalho, todo feito online, você querendo ou não.

A minha geração, a da internet discada, nunca imaginaria aonde chegaríamos graças a tecnologia. As gerações seguintes, não conseguem se ver sem ela.

O mundo está basicamente a dois cliques de distância. O Facebook também nos ensinou isso, mostrando que o mundo todo está conectado, sabemos em instantes o que acontece no Japão, na Síria, cidades bem pequenininhas escondidas no mapa.

Gui Mira

Na era digital perdemos alguma coisa. Perdemos um glamour de sentar na calçada, de conhecer o vizinho, de conversar com a moça da padaria. Entrar de cabeça em histórias antes desconhecidas, que agora ficam na sobra de uma postagem onde os verdadeiros significados ficam escondidos por meio de frases feitas de Pedro Bial, trechos de música e até mesmo Chico Xavier.

O mundo roda, roda, roda e tudo vai perdendo o sentido.
O mundo está se desdobrando em estatísticas matemáticas e ficando cada vez mais frio e impessoal.

Eu amo a internet e todo seu poder, mas às vezes queria a gente menos conectado.

Luiza Pellicani
Últimos posts por Luiza Pellicani (exibir todos)

Luiza Pellicani

Jornalista que perdeu o filtro quando nasceu. Fala e faz o que dá na cabeça. É apaixonada por jornalismo, escrita, música, vida e por pessoas. Balada é comigo. Cinema é comigo. Netflix é comigo. Família é comigo. Nos amores, aproveite, as coisas podem mudar. E não esqueça, máxima do 8 ou 80 não funciona comigo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar ao topo