Falei de você

Não sei bem ao certo quando isso tomou a proporção que tomou. Ele nunca fui importante, e eu não queria dar importância para ninguém – se não fosse eu mesma.

As conversas começaram pelo facebook, logo depois para whatsapp, convites para jantar no final de semana, saídas despretensiosas no decorrer da semana. Quando eu vi, estava ali, contando e colocando ele na minha rotina. Ele, amigo de uma amiga, interessante até, mas não tão importante para mim.

Os dias se passaram, se tornaram meses. As conversas começaram a ser mais longas e profundas, pai, mãe, “bom trabalho”,”Quando chegar avisa”, “Falei de você ontem para o meu terapeuta”…

Opa, pera.

“Falei de você ontem para o meu terapeuta”? Oi? Maluca! O que deu em você?

Pois é, nem eu sei. Quando vi, já tinha soltado a frase e percebi que havia falado bastante dele para o Zé Paulo, meu terapeuta. Segundo o Zé, descobri a tal da importância no outro.

{ Imagem reprodução }
{ Imagem reprodução }

“Ah, mas ele nem é tão importante assim.” Falei repetida vezes ao meu terapeuta que já tinha percebido o quê eu demorei tempos para perceber. Ele era importante e parte da minha rotina.

Pois bem, depois de quase cair dura no chão do consultório do Zé, fugi da terapia dizendo que não era nada, que a importante daquela história era eu. Tão importante que caí no choro. Perdi o rumo, o norte, a razão… Quando foi que ele se tornou importante? Como assim ele entra na minha vida sem pedir autorização? Como que se para entrar na minha vida ele precisasse assinar aquela autorização com termos, responsabilidades.

Ele já estava ali, e eu tinha um jantar com ele naquele mesmo dia. Não tinha roupa, maquiagem ou penteado que eu fizesse eu me sentir vestida. Esta nua. Ele? Ele estava ali, bem de baixo do meu nariz, com importância e tudo.

Por vezes, algumas pessoas chegam na nossa vida e a gente nem tem como explicar o caminho de volta, e assim, elas permanecem e se tornam importantes, sem um porquê. Pessoas à situações, quem dá a tal da importância e permite que algo aconteça, somos nós.

Me vi nua, mas feliz. Surpresa, mas completamente entregue. Estava com ele, sendo importante para nós. Não sei do futuro, mas o presente se tornou importante. Me joguei nas minhas vontades e beijei a minha maior surpresa, naquela noite mesmo. Descobri que a importância é nossa, e sinceramente, é tão bonita.

– Falei de você para o meu terapeuta. De peito aberto e importância máxima.

Assinatura_Ju

Juliana Manzato
Últimos posts por Juliana Manzato (exibir todos)

Juliana Manzato

Apaixonada por amor, cachorros, textos e coisas inspiradoras. Adora fotografia, mar, sol, doce de padaria, verão e olhar o céu azul. Esportista. Feminista. 80 porcentista. Irônica eu? Imagina.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar ao topo