GIRL POWER | JOANA MAGALHÃES

Leia ouvindo: Mc Marcinho – Favorita 

Tive uma dificuldade imensa de começar a escrever esse post, logo eu, que tenho certa facilidade com a escrita . Começar esse post com a foto acima e essas duas aqui de baixo é realmente deixar a escrita de lado e mostrar a realidade de uma relação. A Joana foi um presente que o Cotidiano me deu há 3 anos atrás.

Foi através de um e-mail me convidando para uma aula que ela entrou em contato, e prontamente aceitei. A Joana chegou num dos momentos mais caóticos da minha vida e como paz, ela me mostrou que o esporte e a atividade física são belos auxiliares para o tempo agir. Veja bem, eu sempre tive o esporte e a atividade física na minha vida, mas com ela a relação ficou diferente, fraternal. Talvez pelo amor que a Joana coloca na profissão, nas relações com os alunos e os ideais que tem.

Ela é geniosa, durona e exigente. Ela é persistente também. Ali não tem joguinho psicológico para fazer o aluno render, é preto no branco, baby. Doa a quem doer, viu? E tenho para mim que essa transparência da Joana em trabalhar é o que mais tenha me chamado atenção no começo da nossa relação. Joana conseguiu como poucos transformar o meu corpo e a minha maneira de treinar. A Joana me fez acreditar que era possível e mais do que isso, vi o quanto ela acreditava em mim. De longe, nunca fui a melhor aluna que ela teve, mas posso dizer e ela há de confirmar, a mais dedicada – e dramática também.

Não demorou muito para a relação personal – aluna virar amizade. A Joana além de ser mãe do João, se tornou minha mãe em muitos momentos. Era para ela que eu chorava, era para ela que eu pedia colo, era dela que eu fugia quando eu via que a bronca viria depois de alguma cagada.

A Joana acompanhou inicios de relacionamentos meus, términos, me viu no fundo do poço, me tirou de lá inúmeras vezes e talvez nem saiba disso. Nos tornamos parceiras de vida, mesmo eu fugindo muitas vezes dos treinos. Nos tornamos parceiras de trabalho. Nos tornamos amigas, mesmo com tantas diferenças.

Não existia qualquer possibilidade de não ter ela aqui no Girl Power. Primeiro pela relação que cultivamos, segundo por que a Jô nem imagina, mas ela é inspiração para mim.

Ela é apaixonada pelo trabalho de Educadora Física e isso por si só é inspirador. Ela sabe que pode mudar a vida de pessoas através da atividade física, e isso não se limita a corpo ou saúde, vai além do pensamento. Ela tem capacidade de mudar a maneira como as pessoas vivem, convivem. E a Jô sabendo desse poder todo, misturou um tantão de amor e criou o Mães Ativas, atividade física para mamães e filhos.

(Você pode seguir o Mães Ativas aqui: https://www.instagram.com/maesativas_/)

Além de projeto recheados de amor, a Jô é minha inspiração na sua dedicação ao esporte. Quando nos conhecemos ela praticava Capoeira, o que para mim já era um máximo. Capoeira faz parte da nossa cultura e é uma “arte” que exige muito mais do que força, jeito, gingado, malícia e ela mandava muito bem. Hoje virou “crossfiteira” maravilhosa! Até por isso fizemos o ensaio no box da CFP9, onde a Jô treina atualmente.

Mas o que mais me inspira e me admira na Joana é o papel de mãe. Ela é a mãe do João, de 4 anos. Pela nossa proximidade, acompanho de perto as conquistas e renuncias da agenda de mulher que tem carreira, empresa, projetos, vida social, marido (Rodrigo, você achou mesmo que eu não iria falar de você? rs) e filho.

Ela é incansável! Ela é normal também, faz questão de sair com as amigas, ir a eventos e ter vida própria. Fora a nossa cerveja de cada encontro né, Jo?

O amor por ela vem da simplicidade. A Joana é zero neura e faz questão de mostrar para todos mundo, amigos e alunos. Talvez por isso seja fácil gostar da Joana logo de cara, mas não se assuste, é do sorrisão aberto à cara fechada em minutos, principalmente nas suas aulas. Carrasca né, mores?

E mesmo sabendo das nossas diferenças, da minha rotina maluca, da fuga dos treinos, das desculpas, do drama, do chororô, de algumas discussões, projetos juntas, ideias, audios gigantescos que ela me manda no whatsapp e as vezes até algumas semanas sem se falar por conta da correria, dá um alívio imenso ligar para você e saber que nada mudou.

Obrigada por todas as vezes que eu queria desistir e você me segurou. Obrigada por me abrir os olhos. Obrigada por muitas vezes ter sido minha mãe. Obrigada por ser sempre uma inspiração. Obrigada por me fazer melhor sempre, como amiga, mulher e ex-quase atual-futura aluna.

E termino o texto sobre você com aquela conversa que tivemos essa semana: E se você fosse a média das 5 pessoas com quem mais convive? Você com certeza vai estar entre essas 5 pessoas, Jo.

Obrigada!

Locação das fotos: CFP9 Campinas

Fotos: Gui Mira

Produção de Moda: Minha 😉

Looks: Bob Store Campinas

Juliana Manzato
Últimos posts por Juliana Manzato (exibir todos)

Juliana Manzato

Apaixonada por amor, cachorros, textos e coisas inspiradoras. Adora fotografia, mar, sol, doce de padaria, verão e olhar o céu azul. Esportista. Feminista. 80 porcentista. Irônica eu? Imagina.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar ao topo