Leitura da Onça | Fim

Leia ouvindo: Chico Buarque – Carioca

Fechei o livro. Acabaram as páginas de “Fim”, de Fernanda Torres (Companhia das Letras, 208 páginas). Engraçado…Acho que pela primeira vez não fiquei com aquela sensação de “o que será que acontece com eles depois?”. Na verdade, eu já sabia desde o começo.

Eram cinco: Álvaro, Ribeiro, Neto, Sílvio e Ciro. Amigos da vida boêmia, do Rio dos anos 60, da praia e da galinhagem. Mas o tempo passa para todo mundo, até para os que se acham invencíveis. Jovens e cheios de vida, costumamos pensar assim.

O livro escancara as transformações entre uma vida de desbunde e a vida doméstica, desde os casamentos felizes e frustrados, filhos repetentes e culpados até a empregada que não aparece mais para trabalhar e o cachorro que precisa ir ao veterinário. Dos problemas comuns do dia a dia aos conflitos que extrapolam os anos.

Screenshot_2014-03-27-08-46-10-1
Nas praias do Rio de Janeiro, cinco amigos e o fim de cada um. Foto: Natália Mota e Juliana Manzato.

A linguagem desbocada das narrações – que variam entre primeira e terceira pessoa – traz um tom sarcástico e ácido às histórias que começam sempre pelo fim. Cada personagem narra sua partida, junto com reflexões sobre uma vida inteira que são forçadamente compactadas nos últimos momentos.

Lendo, a sensação foi mais para “o que aconteceu com eles?”. Ao decorrer das narrativas, agora em terceira pessoa, descobri como cada um chegou até ali. Álvaro não gostava de pessoas em geral, era rabugento e ficou sozinho depois da esposa deixá-lo. Sílvio zombava de toda a caretice a qual seus amigos tinham se convertido. Transgressor, se entregou à esbórnia, ao carnaval o ano todo e, literalmente, à sarjeta.

Para Ribeiro, sua virilidade  significava (quase) tudo. Ruth era tudo, mas ela nunca fora dele. Conheceu Suzana e com ela formou um triângulo amoroso junto com Brites. Amava também o Viagra, o salvador de toda a sua impotência, em todos os sentidos. Inclusive aquela de não ter coragem de se declarar.

Neto se casou com Célia. Era o mais conformado dos cinco. Dizia que era viciado na rotina de discussões e reconciliações, as mágoas entre eles foram jogadas pra debaixo do tapete. Era o jeito de manter tudo em ordem. Ciro, o boa pinta e conquistador, amou Ruth (a mesma do Ribeiro) desde a primeira vez que a viu. Casamento feliz até Ciro ter saudade dos tempos de glórias entre as mulheres.

As histórias são ficção, mas podem muito bem ser encontradas em qualquer esquina. Consigo ver esses homens em parentes e conhecidos. Caras que se escondem atrás da solidão, que criaram uma armadura para não se envolver com ninguém ou que mesmo maduros só conseguem pensar em si mesmos. Consigo identificar as mulheres deles em algumas que conheço por aí, com cicatrizes de casamentos descontentes ou que se redescobriram com outros homens depois do marido.

Acho que o livro nos coloca de frente à muitas verdades. O fim pode ser diferente para cada um de nós, mas no fim das contas, todos temos o mesmo fim. O que fazemos até lá é que vai fazer a diferença.

Título: Fim

Autor(a): Fernanda Torres

Editora: Companhia das Letras

Onde comprar:

Livraria Saraiva

Livraria Cultura

Fnac

Assinatura_Nat

Últimos posts por admin (exibir todos)

admin

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar ao topo