Meu coração não vai parar de bater!

Leia ouvindo: The Killers – Human

Dia desses, alguém disse a seguinte frase: ‘se não for pra ficar, então nem venha’. Por longos minutos eu fiquei imaginando o tanto de amargura que essa pessoa já viveu, e antes que eu pudesse escolher o que sentir sobre isso, me compadeci por esse coração. Nascer, crescer e sobreviver num mundo como o de hoje é engolir regras e mais regras, criadas sei lá por quem, fiscalizadas por aqueles que não merecem a minha preocupação. Quando o amor é assunto, aí que tudo complica ainda mais. ‘Mulher não pode ligar no dia seguinte’, ‘homem que não aparece no dia seguinte não está interessado’, ‘saiu com a pessoa por três meses, tem que assumir namoro’, ‘não responde a mensagem tão rápido senão demonstra desespero’, e a famosa e emblemática frase com a qual inicio o texto ‘se não for pra ficar, então nem venha’.

Convenhamos, coleguinhas: estamos muito bem no caminho de como transformar o amor – e o relacionamento interpessoal no geral – em uma chatice das grandes. Tem dias que penso que, ao final de uma mensagem de ‘bom dia’ do par, hora ou outra vai vir um ‘atenciosamente’ prosseguido da assinatura corporativa alheia. Chega de viver a vida como um grande almoço de negócios. É hora de olhar os dias com o carinho que damos ao café da manhã dos domingos. Easy, meu povo! Easy like a Sunday morning!

O cara que disse que a mulher não pode ligar no dia seguinte era um frustrado, diga-se de passagem. Alguém que provavelmente esperou com ansiedade uma ligação num dia qualquer e ficou a ver navios. Não sejamos responsáveis pelas frustrações alheias, pelos medos dos outros, por seus amargores. Não façamos do nosso presente, uma sala de espera pra um futuro que – poxa! – pode nem chegar!

Mayra

[ Imagem: reprodução ] 

Moço, mesmo se não for pra ficar, mesmo se não subirmos ao altar cercados de véu e amigos, mesmo que no dia seguinte não exista mais motivos pra ligar: venha sim! Venha pra me mostrar outro mundo, um universo tão seu que eu ainda desconheça. Venha pra compartilhar as suas músicas, seus autores preferidos, os livros que você ama e até mesmo os que não leu. Venha pra me tirar da zona de conforto, pra me levar a um show de rock mesmo que eu esteja vestindo salto agulha, venha pra me dizer que Ubatuba tem praias lindas e de aguas quentes. Venha mesmo se não for me levar pra Ubatuba. Dia desses eu posso ir sozinha, não há problema. Mas venha! Venha porque o instante que vivo hoje, o bonito do ‘agora’ compensa qualquer adeus precoce do amanhã, moço. Fique a vontade, venha! Por carregar em mim um coração tão cheio de amor, parei de me incomodar se o outro traz o peito vazio. Se esse for o caso, que leve com ele um pouco do que tanto me sobra. Amar não é demais! Jamais vai ser…

Numa geração que ostenta seus homens pegadores e mulheres com o coração de aço, todo sinal de afeto precisa ser cultivado. É preciso correr riscos, tudo vale mais a pena do que uma vida ‘mais ou menos’. Que as mulheres tenham mais coragem pra amar mesmo que haja prazo de validade, pra dizer mais ‘sim’ do que ‘não’, pra olhar o outro com mais empatia e enxergar ali um coração que também pulsa, que também teme, que também espera um elogio, que também espera uma ligação da mocinha que sorriu e se divertiu ao seu lado a noite toda. Que os homens se lembrem sempre que não há problema em ter um coração aventureiro, só há problema em ter um coração desonesto. Que a permissão pra felicidade é você mesmo quem dá. Ela não entra em portas trancadas, meu amigo!

Você deve estar aí, do outro lado, lendo e me perguntando: ‘mas e se der errado, e se doer?’. Então, vou me despedir e lhe responder essa pergunta parafraseando o gênio apaixonado, Cazuza: “E se não der certo, o meu coração é esperto! Não vai parar de bater!”

Mayra_2015

Últimos posts por admin (exibir todos)

admin

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar ao topo