Morando Sozinha | Jogando lembranças fora

Leia ouvindo: Alec Troniq and Gabriel Vitel – Mind Doodle

Foi num desses dias, que peguei para arrumar o apê e descobri que existia muito de você por ali. Um camiseta, um bilhete, um perfume esquecido, alguns livros, um fone de ouvido, alguns presentes únicos, tão nossos. Tinha tudo para ser bonito, mas você fez o favor de fazer uma merda atrás da outra. Eu nem tive tempo de associar que não éramos mais 2.

Ninguém erra sozinho, mas me ensinaram uma vez que persistir no mesmo erro é burrice. Ôh se é. Desisti de você e de suas desculpas bobas. Sabe, eu realmente não precisava passar por tudo aquilo. Você não faz ideia da catástrofe que rolou aqui dentro do peito. O fundo o poço nunca foi lugar para mim.

Se eu estou feliz? Estou sim. Mas você não precisa saber e nem precisa pedir para te contarem. A fase que estou vivendo é real, sem mentiras ou frustrações alheias. Estou seguindo melhor do que eu imaginava pelo caminho que escolhi. Foi bom soltar as asas e ir de encontro ao ar. Estufar os pulmões e respirar enfim, aliviada.

f9885503bfaaca7b2d3e252b927a155c

[ Imagem: reprodução ] 

Juntei as lembranças que restavam por aqui e num saco preto joguei tudo aquilo que me lembrava você. Todas aquelas lembranças perdidas pela casa não faziam mais sentido, não cabiam com a minha nova fase e meus novos objetivos. O que de bom ficou, guardei no coração. Esvaziei a memória afetiva com louvor. Não quero mais e também não vou te devolver. Não faz sentido devolver tantos sentimentos misturados a objetos.

– Tome. Esse seu amor misturado a esse perfume não me servem mais. Blá!

Como numa verdadeira limpeza espiritual, joguei tudo fora. De sentimentos à objetivos. Se não faz sentido, não vai fazer sentir. Não liguei o foda-se para você, eu decidi deletar, sem salvar qualquer cópia. E sabe, isso me fez muito bem.

A casa não ficou vazia sem suas lembranças por aqui, pelo contrário, ela ficou ainda mais cheia de mim. Acho que esse é o real sentido de um ponto final, esvaziar o que foi, para começar o novo. Posso até ter jogado fora um pouco de mim, mas ali meu bem, joguei tudo de você. Vá com Deus!

2015_Ju

Juliana Manzato
Últimos posts por Juliana Manzato (exibir todos)

Juliana Manzato

Apaixonada por amor, cachorros, textos e coisas inspiradoras. Adora fotografia, mar, sol, doce de padaria, verão e olhar o céu azul. Esportista. Feminista. 80 porcentista. Irônica eu? Imagina.

Um comentário em “Morando Sozinha | Jogando lembranças fora

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar ao topo