Mudaram as estações

Leia ouvindo: Pearl Jam – Better Man

Borboletas que costumavam habitar meu estômago já não se encontram mais lá. É que ventos que antes sopravam a favor de boas e velhas surpresas mudaram a direção e levaram os frios na barriga para bem longe…

O que foi que aconteceu com os antigos costumes que tão de repente todo mundo esqueceu de usar? Há tempos não me surpreendo com batidas repentinas na porta, faz tempo que não ouço o telefone tocar. As pessoas não se lembram mais do que são feitas as surpresas e gestos espontâneos de carinho e atenção estão entrando em extinção.

[ Imagem: reprodução ] 

Premeditado demais. Automatizado demais. Fácil demais. Companhia física perdeu espaço para trocas abstratas de mensagens. O valor de um querer bem é proporcional ao número de curtidas. O ostracismo das palavras ao pé do ouvido, do ligar no dia seguinte, do segurar a mão ao invés do celular.

O mundo está ao contrário, mas eu bem que ando reparando. Penso que preferia viver de ponta-cabeça, lá onde as tradições ainda preferem pessoas. Desconectar-me de laços virtuais para conectar-me com gente que sente. Não mais medir valor em números, mas em quantidade de suspiros. E beijos. E abraços.

Sei que existem corações que ainda pulsam no ritmo de outros corações, mas é que ao meu redor alguns batimentos andaram perdendo o ritmo, esquecendo da música. Ainda acredito em orquestras de amor, mas, infelizmente, não se fazem mais maestros como antigamente…

2015_Bia

Bianca Carvalho
Últimos posts por Bianca Carvalho (exibir todos)

Bianca Carvalho

Uma carioca branquela, bagunceira e desbocada. Uma mulher questionadora, inquieta e expansiva. Uma amante do mundo, dos cachorros e de pessoas apaixonadas pela vida.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar ao topo