Mulher que sente | Dias ruins

Leia ouvindo: Lana Del Rey – Shades Of Cool

Dias ruins deveriam vir com atestados. Sim, parecidos com aqueles médicos que a gente pede toda vez que fica doente e precisa justificar algo. Assim como o repouso serve para o doente, um dia inteiro para não sair de casa deveria valer para a zica.

Acho uma puta sacanagem sair de casa em dia de zinca, e se sair claro, poderia sem problema algum voltar para o lar doce lar. Cancela a agenda, liga o foda-se, vai deitar, dormir, chorar ou qualquer coisa do tipo. Nesses dias é difícil encarar a realidade, imagina o porteiro, o amigo da faculdade, o chefe?

Como se não bastasse, é nesses dias de zica que a vida bate. Justamente para ver até onde você aguenta. Cretina. O dia só precisa terminar bem, pronto. Mas é nessas horas que a vida não quer saber de trato ou bondade, ela te dá lições. Geralmente vem a angustia, o choro, a raiva e todos aqueles sentimentos que te fazem querer ficar na cama o dia todo ou fugir para o colo da sua mãe.

{ Imagem reprodução }
{ Imagem reprodução }

É obvio que depois de dias ruins, aparecem os dias bons. Mas até os dias ruins passarem dói, machuca, agita e te mostra como é ser frágil e quebrar por dentro. Não é específico para homem ou mulher, mas é ser humano. Acontece para a mais calma das pessoas e a mais santa, ou você acha que o Papa está livre da zica?

Todo mundo tem aquele dia que está mais triste, mais desastrado, mais bravo, mais pensativo, mais deprimido e complicado. Não é fácil, mas passa. Com ou sem atestados, em casa ou na rua, passa. Deus deve ter criado os dias ruins para nos ensinar a navegar nas tempestades da vida. Para mostrar também que não é fácil passar por tantos obstáculo, mas que no final sempre vai sobrar uma gargalhada, um abraço amigo, um porto seguro, uma mão para segurar. Dias ruins tem em si certa poesia, é na dificuldade que se cresce, é na cama que a gente se esconde do mundo e no coração que sente.

É nesse dia que a vida bate e a gente apanha, mas amanhã, amanhã pode ser dia de ver o sol. Boa sorte.

Assinatura_Juju

Juliana Manzato
Últimos posts por Juliana Manzato (exibir todos)

Juliana Manzato

Apaixonada por amor, cachorros, textos e coisas inspiradoras. Adora fotografia, mar, sol, doce de padaria, verão e olhar o céu azul. Esportista. Feminista. 80 porcentista. Irônica eu? Imagina.

3 comentários em “Mulher que sente | Dias ruins

  1. Sensacional, resumiu minha semana nesse textos.

    Deus te mantenha com essa capacidade linda e incrivel de expressar aquilo que a gente senti, e não sabe como por pra fora!!
    bjos

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar ao topo