NOSSOS CAMINHOS

Leia ouvindo: Olly Murs – Grow Up

Você apareceu, me desnudou, rindo à toa, desfilando a felicidade invejável como se fosse uma música romântica qualquer. Me levando para o mundo mais real. Me tornando ainda mais mulher.

As gotas de chuva no vidro do carro não me remetem mais a um clipe de música triste. As batidas do meu coração não são mais uma canção pronta para me fazer chorar.

O sorriso não é mais aquele que me forço a dar todas as manhãs para deixar a felicidade mais real e a tristeza cada vez mais trancada dentro do meu coração.

Você apareceu e me fez superar qualquer coisa presa no passado. As derrotas foram um aprendizado para chegar até esse momento.

Apesar de parecer que fosse uma outra pessoa que tivesse chegado, na verdade foi meu verdadeiro eu que voltou a tomar conta da minha alma e do meu corpo guiando meus passos e meus projetos.

Fotografia: Juliana Manzato

Mergulhando no vale do passado e vivendo calmamente o futuro no presente corrente, vamos nos tornando quem realmente nos fortalece, que é nosso ego, nossa vontade, sonhos e planos.

Abrindo portas antes fechadas, seja para propostas de trabalho, amores ou para a nova realidade.

A felicidade de causar inveja e irritação vem depois de grandes percalços e gritos no vazio da alma.

Respira que quando a gente se desnuda, a gente se conhece, a gente se ama e recupera de qualquer coisa que possa trazer a nossa infelicidade.

Amor próprio é uma coisa difícil de recuperar, mas quando chega é só rezar baixinho para que nunca nos abandone.

Luiza Pellicani
Últimos posts por Luiza Pellicani (exibir todos)

Luiza Pellicani

Jornalista que perdeu o filtro quando nasceu. Fala e faz o que dá na cabeça. É apaixonada por jornalismo, escrita, música, vida e por pessoas. Balada é comigo. Cinema é comigo. Netflix é comigo. Família é comigo. Nos amores, aproveite, as coisas podem mudar. E não esqueça, máxima do 8 ou 80 não funciona comigo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar ao topo