Nostalgia – O que foi e o que está por vir. | Por Aninha Ruiz

6
Nostalgia é a sensação de saudade de um tempo vivido.



Frequentemente, o que nos remete a uma sensação nostálgica é algo idealizado e irreal. Um bom exemplo de nostalgia é dizer que quando éramos jovens os preços eram mais baixos, o mundo era perfeito e não existiam guerras. Sabemos que não é verdade, mas realmente acreditávamos nisso, o que bastava para torná-lo real e nos deixar com essa sensação de saudade.


Quem não tem saudades dos momentos da infância, das brincadeiras de rua, dos momentos em que nossa única preocupação antes de dormir era qual seria o brinquedo a ser levado para a escolinha no dia seguinte? A vida mudou muito, hoje as preocupações são inúmeras e a escassez de tempo é tão grande, que muitas vezes (quase sempre) deixamos de fazer coisas que gostamos em prol de outras e assim, a vida vai indo, os dias vão passando, quando percebemos, dois, três, seis meses se passaram, estamos envelhecendo e não fizemos coisas que nos dão pequenos prazeres, aqueles dignos de fazer nossas almas mais leves.


Há quanto tempo você não se dá um tempo para entregar-se à nostalgia? Isso mesmo, um tempo para recordar tempos passados, para brincar com seu cachorro, brincar com seu filho ou correr na chuva com sua namorada (o).



A minha intenção, com esse texto é fazer-lhe um pouco mais irresponsável. Por algumas horas, esqueça dos seus problemas, do seu trabalho, sua profissão, entregue-se à nostalgia da vida e seja feliz. Cante sem saber a letra, dance mesmo sem música, suje-se, mostre-se, encante-se.



Surpreenda sua namorada (o), marido, esposa, rolo ou companheira (o) com um programa de índio. Leve-a à algum lugar que marcou sua infância e conte sua história, caminhem de mãos dadas, deem risadas à toa, tomem um sorvete, bagunce seus cabelos e encha-a (o) de beijos carinhosos. Voltem exaustos e sorridentes.


Leve sua filha (o), sobrinha (o), irmã (o) para um piquenique no parque, leve papéis coloridos, canetas brilhantes e filtro solar, se pra mim, grande desse jeito seria uma delícia, imagine pras crianças? Tenho certeza que será inesquecível!


Não tem crianças? Sua companhia não está muito empolgada com a idéia? Então, assista você, um desenho que lhe marcou, o filme do seu aniversário de um ano, veja fotos de quando era adolescente, ria de como era feio, desajeitado, cdf, relembre seus apelidos, vá visitar aquele primo distante. Essa sensação, a tal da nostalgia, traz boas emoções à tona, amolece o coração e desenferruja o corpo.


Faça isso de vez em quando, não o necessário para lhe tirar da linha, mas o suficiente para sentir-se livre. E lembre-se de desligar o celular!


Acredito, de verdade, que se todos nós praticarmos um pouco da nossa nostalgia, e amarmos um pouco mais, o mundo ainda terá solução.


Beijinhos.


Fly Away

@AninhaRuiz


Últimos posts por admin (exibir todos)

You might also like More from author

6 Comments

  1. Rubens Gualdieri says

    Quem já sentiu “cheiro” do passado? A memória olfativa remete muitas lembranças… O cheiro de madeira queimada, que lembra fogão à lenha, que lembra sítio, que lembra minha vó… Época que ficou há muito lá atrás e não volta mais. Excelente post Aninha. Lindo.

  2. @AninhaRuiz says

    A memória olfativa realmente é uma das que mais nos marcam.

    Impossível não viajar na própria mente com o cheiro de chuva, de madeira, de terra, alguns perfumes, o cheiro específico de alguns lugares…

    É uma delícia!

  3. Caio Blumer says

    Féra Aninha!

    Lendo a gente já começa a sentir cheiro de bolo da vó, música da infância, dor de dedão ralado jogando bola na rua.

    PARABÉNS, criar imaginação por texto é muito bom 🙂

    Beijo!

  4. @AninhaRuiz says

    Provocar reações positivas, seja ela qual for, é sempre um prazer.

    Muito bom voltar a escrever depois de muito tempo e já ter comentários positivos!

    Beijo!

  5. Igor @Bellino says

    Muito, muito bom!
    Achei bacana demais, em especial, esta observação:

    ” Faça isso de vez em quando, não o necessário para lhe tirar da linha, mas o suficiente para sentir-se livre. E lembre-se de desligar o celular! “

    Um beijabração a todos os Nostálgicos em exercício!

  6. @AninhaRuiz says

    Realmente, desligar o celular é fundamental!

    E sentir-se livre também!

    Fly Away!

    =)

    Um beijo, obrigada pelo comentário!

Leave A Reply

Your email address will not be published.