O AMOR COMEÇA COM A GENTE

Entender que só nós temos o poder de nos amar por inteiro, sem nenhum julgamento, de forma constante e infinita, tira pesos desnecessários das costas.

0

Leia ouvindo: Jessie J – Who You Are

Todo o amor tem que começar na gente, afinal, é impossível dar o que não temos.

Não podemos servir de recipiente vazio e é, por isso, que é urgente normalizar o autocuidado, o amor-próprio e a autocompaixão.

Acredito que será apenas através de uma sociedade que se ama, na primeira pessoa, que poderemos mudar o mundo. Precisamos, no entanto, cuidar para não confundir amor-próprio com egoísmo. Sobretudo nos tempos que correm.

Fotografia: Juliana Martins

É importante entender que se amar, não significa se sentir superior ao outro. Jamais. O verdadeiro amor é empático e livre de preconceito.

Pensando nisso, lembrei do autocuidado feminino. Para a maioria das mulheres, é difícil deixar de cuidar dos outros e tirar um tempo para si. Acho que todas já sentimos isso. Somos ensinadas, desde cedo, a importância de prover carinho, atenção e amor, ao outro. Afinal, é isso que esperam de nós, mulheres: doçura, colo acolhedor e amor maternal.

Quantas de nós tiveram a sorte de aprender a importância de olhar para dentro com esse mesmo carinho, amor e empatia? Quantas de nós aprenderam a dizer “não” a ambientes ou pessoas nocivas? Poucas, pouquíssimas, ou talvez nenhuma. Com sorte, algumas aprenderam isso a duras penas, no caminho tortuoso da vida. Para muitas, até hoje, isso é pura ilusão e privilégio.

Na visão holística da saúde, arrisco dizer que o amor é absolutamente central. É na prática do amor-próprio que nos alimentamos com mais consciência e nos exercitamos, por exemplo. É no ato de amar, e ser amado, que o fundamento do nosso bem-estar é estruturado, e também nos diversos relacionamentos que construímos (familiares, amizades, profissionais e amorosos).

E se é verdade que somos seres sociais – e a quarentena escancarou isso para quem tinha alguma dúvida – é importante tomar consciência de que o único e verdadeiro amor eterno e incondicional é o amor por nós mesmas.

Esta frase pode parecer uma triste constatação, quase depressiva, mas na verdade eu acho que é um presente. Entender que só nós temos o poder de nos amar por inteiro, sem nenhum julgamento, de forma constante e infinita, tira pesos desnecessários das costas. Como, por exemplo, a expectativa de encontrar no outro o amor que procuramos. Ele já está aqui. Sempre esteve e estará em nós.

Assim, é crucial tirar tempo, semanalmente, para si mesma. Uma dica é colocar o evento na agenda tal e qual faria com uma reunião de trabalho importante. Na verdade, é a reunião mais importante da semana: de você, com você mesma. Depois, é fundamental estar presente por completo nesse momento de autocuidado. Se for tomar um banho com óleos essenciais, desligue a luz, coloque uma música e acenda uma vela. Esteja ali por inteiro. Se estiver lendo um livro ou fazendo uma máscara facial, não role pelas redes sociais. Desconecte-se e curta a paz de ser livre.

Afinal, é no silêncio que nos encontramos. E quando a gente se encontra, a gente se ama mais. E quando a gente se ama mais, a gente vibra isso ao nosso redor. É um efeito borboleta que não tem fim. E só isso nos pode salvar.

Ju Martins
Últimos posts por Ju Martins (exibir todos)

You might also like More from author

Leave A Reply

Your email address will not be published.