O NOVO NORMAL E O SEU PATRIMÔNIO

Leia ouvindo: Iza – Dona de mim

A última pandemia que o planeta terra passou teve seu iniciou em 1918 e terminou em 1920, há mais de 100 anos. O que se tem notícia é que desde então o mundo mudou, porque os costumes mudaram. Acredito que por isso é que hoje se fala tanto no tal “novo normal”.

Não sei se esse termo me agrada, mas por outro lado, tenho a certeza de que o mundo não será igual. O fato é que nós mudamos o mundo. O nosso comportamento muda o nosso entorno e o nosso entorno muda o mundo.

Imagem: reprodução

Somos agentes multiplicadores de novos comportamentos.
Por isso, aquela famosa frase: “seja a mudança que você quer ver no mundo”, nunca fez tanto sentido. Mas eu aposto que nesse período de isolamento social mundial, crise política, econômica, morte em massa, sistema de saúde em colapso, você já se pegou pensando e repensando no que você quer fazer de diferente daqui para frente.

Neste contexto de caos mais uma triste faceta da nossa sociedade vem a tona todos os dias: o machismo e seus efeitos. O que fica escarado por duas questões que tiveram aumentos significativos nos últimos meses, que são elas: os pedidos de divórcio feitos por mulheres e as denúncias de violência doméstica.

O fato é que o machismo e outros “ismos” são estruturais na sociedade e cabe a nós mudarmos isso dentro de nós, para então mudarmos o nosso entorno.

Historicamente num relacionamento estável entre um homem e uma mulher, nos fizeram acreditar que há funções masculinas e funções femininas. Ele controla, ele cuida de determinados assuntos, especialmente no que se refere às finanças e ao patrimônio. Um dos “normais” do machismo estrutural.

Num tom quase que de cortes ou até mesmo no automático ele tomou a frente para te “poupar” disso, afinal, ele foi “ensinado” assim também. Acredito que toda mulher deve se empoderar de tudo aquilo que diz respeito a própria vida, portanto, converse sobre patrimônio!

Esse “ tabu” precisa ser quebrado na tal “família tradicional brasileira”, seja com o pai, seja com o marido. Se empodere de tudo que diz respeito à sua vida.

Nesse “novo normal”, espero que você não seja mais uma mulher que faz parte da estatística de aumento de divórcios ou de violência, mas caso você esteja nesses números, te pergunto: você tem ciência do volume de patrimônio acumulado ou dívidas durante o seu casamento? Você sabe sob qual regime de casamento você se casou? Se você vive em uma união estável não registrada, você conhece os seus direitos?

Você precisa saber, se possível, antes de comunicar tal decisão ao companheiro. Nunca se sabe como um divórcio ou separação, vai se desenrolar. Se será consensual – quando os dois concordam -, ou litigioso – quando um quer e o outro não.

Mesmo que você viva um casamento feliz, não aceite o papel de coadjuvante na gestão do patrimônio que você ajudou a construir.

Por outro lado, se você vive em uma união estável não oficializada, romantize menos e seja mais objetiva. Regularize o quanto antes e com a data correta, desde quando resolveram seguir juntos na construção da vida a dois.

A informação, muda o seu mundo. Esse assunto também é seu. Escolha qual vai ser o seu novo normal.

Cristiane Tassoni
Últimos posts por Cristiane Tassoni (exibir todos)

Cristiane Tassoni

Advogada, especialista em Direito Tributário. Sócia-fundadora do escritório Rocha & Tassoni Sociedade de Advogados. Aquariana, mulher, empresária, esposa e mãe. Não necessariamente nessa ordem. Apaixonada pela minha vida, meu trabalho e por viajar. Espalho amor, porque a gente da o que tem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar ao topo