OS SUSSURROS

0

Leia ouvindo: Keira Knightley – Tell me if you wanna go home

O som começa chiadinho na sala ao lado e sem querer, a atenção antes dada a televisão perde todo o protagonismo. É como se o sussurro de outra conversa ao qual não está incluído fosse mais importante.

Pequenos gritos no portão ao lado. Seria uma briga?Um alerta de esquecimento?

Maldito sussurro que embaralha entre as paredes.

A curiosidade matou o gato, não é o que dizem?

A falta de entendimento, e paciência, para entender o que acontece na parede ao lado obriga o movimento. É necessário aumentar o volume da televisão, fechar as janelas e ligar o ventilador (em pleno inverno). Mas o barulho vai-e-vem do ventilador amortiza as palavras jogadas ao vento pela gritaria.

Enclausura novamente o cérebro em frente a televisão e mais uma vez volta o foco para aquela porcaria qualquer.

A curiosidade desaparece. O assunto morre. E a gente se esquece por qual motivo está debaixo do edredom com a janela fechada e o ventilador ligado em meio ao inverno.

O cérebro esquece o sussurro com cheiro de fofoca do vizinho ao lado, só toma consciência quando outro vizinho qualquer te conta alguma novidade.

Aí o cérebro lembra que em meio aquele surto da janela ao lado, você surtou dentro de casa para não surtar junto em meio ao desequilíbrio.

Faz parte do cotidiano das selvas de pedras, meus caros.

Fotografia: Marilia Granito

Luiza Pellicani

Jornalista que perdeu o filtro quando nasceu. Fala e faz o que dá na cabeça. É apaixonada por jornalismo, escrita, música, vida e por pessoas. Balada é comigo. Cinema é comigo. Netflix é comigo. Família é comigo. Nos amores, aproveite, as coisas podem mudar. E não esqueça, máxima do 8 ou 80 não funciona comigo.
Luiza Pellicani

Últimos posts por Luiza Pellicani (exibir todos)

You might also like More from author

Leave A Reply

Your email address will not be published.